Descrição de chapéu Coronavírus

CNI pede que governo adie recolhimento de impostos por três meses por coronavírus

Entidade também pede que bancos públicos forneçam proteção cambial mais barata que a de mercado

Brasília

A CNI (Confederação Nacional da Indústria) entregou ao governo um documento de nove páginas com demandas de medidas na área econômica. A entidade defende as iniciativas como necessárias para enfrentar o momento de crise do coronavírus.

As demandas na área tributária incluem o adiamento, por 90 dias, do pagamento de todos os tributos federais, incluindo as contribuições previdenciárias. Também seriam parcelados os montantes que tiverem o recolhimento adiado.

A CNI pede ainda a dispensa de pagamento, por 90 dias e sem multa, de parcelas de programas de refinanciamento de dívidas de contribuintes que já foram contemplados com esse tipo de benefício.

A lista ainda conta com a redução temporária das tarifas de energia elétrica, através da redução de encargos setoriais e do uso de bandeiras tarifárias mínimas.

A entidade pede também que bancos públicos ofereçam hedge (instrumento de proteção) cambial com condições melhores que as do mercado, para reduzir os impactos da desvalorização cambial provocada pela crise.

Além disso, a ampliação do uso das linhas de crédito do BNDES para insumos industriais e para pequenas empresas.

Na política monetária, a CNI defende que o governo reduza os compulsórios (montantes que os bancos são obrigados a manter nos cofres) sobre depósitos a prazo e depósitos à vista.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.