Petróleo encerra negociações abaixo de US$ 20 pela primeira vez em quase 20 anos

Barril do petróleo tipo Brent com vencimento para junho fechou negociações cotado em US$ 19,33

São Paulo

O petróleo tipo Brent, referência mundial de preços para a commodity, fechou abaixo dos US$ 20 pela primeira vez em quase 20 anos. O preço do barril com vencimento em junho deste ano encerrou as negociações cotado em US$ 19,33 (R$ 102,13) nesta terça-feira (21), o menor patamar desde 7 de fevereiro de 2002.

O valor representa uma queda de 24,4% em relação ao dia anterior. Já o petróleo americano (também conhecido como WTI) com vencimento para junho, fechou a em US$ 13,12 (R$ 69,32), recuo de 35,78%.

O contrato futuro para maio do barril dos EUA, por sua vez, encerrou com valorização de 126,6%, cotado em US$ 10,01 (R$ 52,89). O movimento vem um dia após o barril dos EUA com vencimento para maio ter atingido o preço negativo de US$ -37,63 (R$ -198,82) pela primeira vez na história.

Bombas de petróleo operando no Texas, nos Estados Unidos; o preço do Brent atingiu o menor patamar desde fevereiro de 2002
Bombas de petróleo operando no Texas, nos Estados Unidos; o preço do Brent atingiu o menor patamar desde fevereiro de 2002 - Wang Ying/Xinhua

A volatilidade dos preços do petróleo reflete o desequilíbrio contínuo entre a oferta e a demanda da commodity menos de dez dias depois de os membros da Opep+ (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) e países aliados terem concordado em um corte recorde na produção diária do óleo.

Ainda nesta terça-feira, a Arábia Saudita afirmou que está monitorando os preços do petróleo no mercado e que está preparada para tomar medidas adicionais, junto à Opep+ e outros produtores, para estabilizá-lo.

Nos mercados futuros, como o de petróleo, compra-se o direito de receber o produto ao fim de determinado prazo —nesse meio tempo, pode-se negociar os papéis para realizar lucros em momentos de alta, ou rolar para novos contratos com prazo maior, mas as posições abertas no dia do vencimento envolvem entregas físicas do produto.

A falta de demanda ante a quarentena em diversos países do mundo e a continuidade da produção do petróleo têm diminuído cada vez mais a capacidade de estocagem da commodity, o que provocou uma corrida na venda de posições, provocando uma forte queda nos preços. Desde o início do ano, o petróleo tipo Brent, por exemplo, acumula uma queda de 70%. O petróleo americano acumula perda de 78%.

O presidente dos EUA, Donald Trump, também disse que pediu ao seu gabinete para que crie um plano de injeção de dinheiro na indústria petrolífera do país para ajudá-la a sobreviver ao colapso dos preços da commodity.

Companhias de petróleo e gás americanas vêm lutando para evitar a falência em meio às ordens de confinamento domiciliar e interdições dos negócios em todo o mundo em reação ao surto de coronavírus.

"Jamais decepcionaremos a grande indústria de petróleo e gás dos EUA. Instruí o secretário de Energia e o secretário do Tesouro a formularem um plano que disponibilizará fundos para que estas empresas e empregos muito importantes fiquem protegidos em um futuro distante!", publicou Trump em seu Twitter.

(Com Reuters)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.