Carro de R$ 500 mil faz Porsche bater recorde de vendas no Brasil

Montadora alemã de veículos de luxo cresceu 117% no primeiro quadrimestre de 2020

São Paulo

Tem Porsche na contramão. Enquanto as vendas de veículos leves e pesados no mercado brasileiro caíram 27% no primeiro quadrimestre de 2020, a montadora alemã cresceu 117% no mesmo período.

O destaque do período foi o novo modelo 911, que teve 455 unidades comercializadas, o que representa 42,6% do total da marca. Seu preço começa em R$ 519 mil e vai até R$ 1,33 milhão –valor pedido pela versão Turbo S, que chegou ao país no último mês.

Rodrigo Soares, gerente de relações públicas da Porsche no Brasil, explica que esses carros são comprados por empresários, altos executivos e profissionais autônomos bem-sucedidos. Os ramos de atuação variam de região para região. No Sul e no Centro-Oeste, por exemplo, é o dinheiro do agronegócio que estimula as vendas.

Esses clientes já aguardavam pelo novo 911, e mais de 90% desses veículos foram vendidos por encomenda. A pandemia do novo coronavírus não foi suficiente para fazer o público-alvo cancelar o negócio, que até pareceu uma pechincha. A empresa garantiu o preço em reais acordado no ato da compra mesmo que o veículo escolhido demorasse um ano para ser entregue.

O cliente precisa dar um sinal como garantia, mas o faturamento só ocorre quando o veículo chega ao Brasil. Com a variação do câmbio, o comprador tem a sensação de ter desembolsado um valor menor ao fazer a conversão pelo dólar atual.

Nos dias de hoje, há um efeito raro no setor automotivo nacional. O Porsche 911 mais em conta vendido nos EUA atualmente custa o equivalente a R$ 545 mil, sendo R$ 26 mil mais caro que a opção disponível no Brasil.

Segundo Soares, entre 25% e 35% dos compradores financiaram o Porsche novo. O número poderia ser maior caso a montadora oferecesse seus serviços bancários no Brasil.

É a primeira vez que uma nova geração do esportivo mais icônico da Porsche é vendido diretamente pela marca. Até 2015, os carros chegavam ao país por meio de revendedores credenciados.

A importação dos esportivos alemães teve início em 1968 por meio da concessionária paulistana Dacon.

Na época, um pequeno lote do modelo 912, versão simplificada do 911, chegou ao país com motor 1.6.
O mercado foi fechado aos carros importados em 1976. A reabertura ocorreu há 30 anos, em maio de 1990, mas a Porsche não estava entre as primeiras marcas que retornaram ao Brasil naquela época.

A montadora só voltou a ter um representante oficial em 1996, quando seus automóveis começaram a ser trazidos e revendidos pela Sttutgart Veículos. Ao assumir a operação em julho de 2015, a matriz alemã assumiu acelerou os negócios. Literalmente.

A homologação dos carros tornou-se mais rápida. O novo 911 foi apresentado no Brasil em março de 2019, mesma época em que foi lançado na Alemanha e nos Estados Unidos. A marca montou uma estrutura para clientes e potenciais compradores no autódromo Velo Città, em Mogi-Guaçu (interior de São Paulo).

Os convidados participaram de cursos de direção e puderam dirigir o lançamento na pista. Equipe, carros e pneus vieram da Alemanha em um circo itinerante. De nacional, apenas o bufê montado sob uma tenda branca, que oferecia café da manhã e almoço aos participantes.

Os instrutores explicaram o funcionamento das novas tecnologias. O 911 atualizado traz sensores instalados perto das rodas que conseguem detectar o quanto de água há no asfalto em dias de chuva.

Assim adaptam os dispositivos de segurança para essa condição. O carro também é capaz de frear sozinho caso detecte uma parada subida no trânsito ou um pedestre na via.

Esses recursos trazem brilho aos olhos dos possíveis clientes, que são motivados a trocar seus modelos “antigos” –alguns com menos de 10 mil quilômetros rodados—por um 2020.

Um dos 911 avaliados naquele evento passou pelo teste Folha-Mauá. Com 450 cv de potência, a versão intermediária Carrera S (R$ 679 mil) acelerou do zero aos 100 km/h em 3,4 segundos. Um Volkswagen

Polo 1.0 MSI (R$ 54,8 mil) abastecido com etanol gasta 16,6 segundos para cumprir a mesma prova. Seu motor tem 84 cv.

As ações presenciais voltadas a milionários estão suspensas devido a pandemia do novo coronavírus e ainda não têm previsão de retorno. Esses eventos são realizados tanto em circuitos de corrida como na rede de concessionárias da marca, que segue em expansão.

A Porsche vai abrir uma nova loja em São Paulo, na zona oeste, e ainda unidades nos estados de Goiás e do Ceará. Ao que tudo indica, será a única marca de veículos a venda no Brasil a registrar crescimento em 2020.

Erramos: o texto foi alterado

Diferentemente do que foi publicado em versão anterior deste texto, a Porsche vai abrir uma nova loja no Ceará, e não em Mato Grosso do Sul. O texto foi corrigido.​ 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.