Prejuízo da Uber aumenta 190% no trimestre; receita com comida cresce

Empresa registrou prejuízo líquido de quase US$ 3 bilhões durante pandemia de coronavírus

São Paulo

A pandemia de coronavírus afetou a demanda por corridas da Uber, que reportou prejuízo de quase US$ 3 bilhões no primeiro trimestre deste ano (alta de 190%), mas ajudou a elevar a entrega de comida, dando maior equilíbrio ao caixa, divulgou a companhia em balanço nesta quinta-feira (7).


No primeiro trimestre de 2019, o prejuízo líquido foi de US$ 1,01 bilhão. A receita total (US$ 3,5 bilhões) cresceu 14% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Enquanto a receita de corridas cresceu apenas 2%, atingindo US$ 2,5 bilhões, o Uber Eats registrou aumento de 53%, com US$ 819 milhões.

Entregador da Uber Eats, setor cuja receita cresceu 53% no primeiro trimestre
Entregador da Uber Eats, setor cuja receita cresceu 53% no primeiro trimestre - Reuters

“Enquanto o negócio de corridas foi duramente afetado pela pandemia em curso, tomamos medidas rápidas a fim de preservar a força do nosso balanço, com foco em recursos adicionais no Uber Eats e na nossa preparação para qualquer cenário de recuperação”, afirmou Dara Khosrowshahi, presidente-executivo da companhia.

Segundo ele, a empresa está “encorajada” pelos primeiros sinais de abertura em mercados onde atua.
“Nossa presença global e estrutura de custos altamente variável continuam sendo uma vantagem importante, pois nossa expectativa é de que a recuperação do negócios de corridas varie de acordo com a cidade e o país”, disse.

Parte considerável do prejuízo se deu pela desvalorização de investimentos da empresa.

Nas últimas três semanas, as corridas cresceram, de acordo com executivos na apresentação dos resultados. A última semana registrou aumento de 12%.Em abril, a queda foi de 80%.

A empresa, que nunca lucrou, terá que adiar este momento mais uma vez. A expectativa era de Ebtida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) positivo no quarto trimestre deste ano, o que deve ser adiado em meses, não em anos, segundo a empresa.

As ações da Uber dispararam 11,2% nesta quinta-feira, cotadas a US$ 30,93. A alta no ano é de 4% e a empresa é avaliada pelo mercado financeiro em US$ 53 bilhões.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.