XP lança projeto de educação financeira e vê juros baixos por muito tempo

Plataforma Xpeed School terá cursos que vão de R$ 9,90 a R$ 17 mil

São Paulo

Diante da perspectiva de que o cenário de juros baixos no país vá se perpetuar por um longo tempo, a XP lançou nesta segunda-feira (22) um projeto de educação financeira. Com foco em ensino à distância, a nova plataforma Xpeed School pretende vender cursos que vão da melhora do orçamento familiar à formação de profissionais para o mercado financeiro, com preços que variam de R$ 9,90 a R$ 17 mil.

A XP não revela quanto está investindo no lançamento da plataforma, nem quantos alunos espera atingir na primeira fase da operação, mas fala em “impactar até 50 milhões de brasileiros” num horizonte mais longo.

Para Izabella Mattar, sócia responsável pela XP Educação, a sucessão de crises no país e a atual pandemia não devem prejudicar o lançamento, já que as dificuldades teriam acordado as pessoas e os donos de negócio para a necessidade da educação financeira.

“Há 20 anos, era muito difícil convencer alguém a assistir uma aula sobre novas maneiras de investir ou sobre empreendedorismo, porque o custo de oportunidade era muito adverso”, disse Guilherme Benchimol, presidente da XP, durante coletiva online de lançamento da plataforma.

Segundo o executivo, os juros elevados no país estimulavam o investimento em títulos públicos e na poupança e desestimulavam a abertura de negócios. “Vemos um cenário de juros baixos por muito tempo, isso vai transformar a forma como as pessoas investem no Brasil e como conduzem as suas carreiras”, afirmou.

O projeto será tocado por Izabella Mattar, psicóloga de formação, com passagens pela Fundação Estudar de Jorge Paulo Lemann, pela Tarpon Investimentos e pelo think thank de formação de lideranças políticas RenovaBR, no qual foi diretora-executiva. Izabella chegou à XP em agosto do ano passado para assumir a nova plataforma de educação da empresa.

O projeto tem cinco focos de formação, um voltado para educação financeira básica, outro para o conhecimento inicial de alternativas de investimento e um terceiro para aprender a operar em bolsa.

Em julho, deve ser lançada a escola de empreendedorismo, voltada para gestão de negócios. Por fim, há o Xpeed Pro, que pretende oferecer MBAs para formação de profissionais do mercado financeiro, como brokers, assessores de investimento e analistas de ações.

“Sabemos que 88% das pessoas que poupam no Brasil o fazem por meio da poupança, acreditamos que, por meio da educação financeira, podemos trazer informação para que as pessoas façam seu dinheiro render melhor num cenário de juros baixos”, diz Izabella. Segundo ela, apenas 24% da população brasileira diz fazer algum tipo de aplicação financeira, percentual considerado ainda muito reduzido.

Entre os desafios para a iniciativa, segundo Izabella, estão comunicar a educação financeira de forma sustentável, mas atraente para as pessoas, num ambiente em que elas são cada vez mais atraídas por falsas promessas de ganhar dinheiro rápido.

A tecnologia é outro desafio. “A população brasileira aumentou massivamente o uso de mídias sociais através de celulares, mas ainda há um problema muito grande de dados no Brasil”, afirma a executiva. “Precisamos ter uma estratégia de conteúdos leves para mídias sociais para poder chegar no grosso da população.”

Questionada se a sucessão de crises no país pode prejudicar os objetivos da plataforma, Izabella avalia que pelo contrário. “A crise econômica é terrível, mas ela também faz as pessoas acordarem para a questão das finanças pessoais”, afirma.

A diretora lembra que uma pesquisa recente da XP mostrou que mais de 60% das empresas só tinham caixa para três meses de operação. “As pessoas não estavam contando com uma crise tão profunda e, portanto, não estavam preparadas para isso. Agora está todo mundo mais alerta, então é um momento bom para trazer o assunto da educação financeira.”

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.