China alerta Reino Unido que abandonar Huawei custará caro

Segundo o governo chinês, medida é resultado da pressão política dos Estados Unidos

Londres e Pequim | Reuters

A China alertou nesta quarta-feira (15) que a decisão de banir a Huawei das redes 5G, feita pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, custará caro aos investimentos do Reino Unido.

"Diria que isso não é apenas decepcionante, é desanimador", disse o embaixador chinês Liu Xiaoming ao Centro de Reforma Europeia, acrescentando que o Reino Unido "simplesmente abandonou a empresa".

"A maneira como a Huawei é tratada está sendo observada de perto por outras empresas chinesas, e será muito difícil para outras companhias ter a confiança necessária para investir mais", disse.

Segundo o governo chinês, a medida é resultado da pressão política do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Horas depois que Johnson ordenou que os equipamentos da Huawei fossem removidos das futuras redes 5G até o final de 2027, Trump reivindicou o crédito pela decisão e disse que, se os países quisessem fazer negócios com os Estados Unidos, deveriam bloquear a Huawei.

Mas a China, cuja economia de 15 trilhões de dólares é cinco vezes maior que a do Reino Unido, alertou que a decisão prejudicará o investimento no país, pois as empresas chinesas viram Londres abandonar a gigante de telecomunicações.

Em Pequim, o Ministério das Relações Exteriores classificou o Reino Unido como "um lugar relativamente pequeno" que estava se tornando submisso aos Estados Unidos.

"O Reino Unido quer manter seu status independente ou ser reduzido a vassalo dos Estados Unidos?", disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying. "A segurança do investimento chinês no Reino Unido está sendo ameaçada."

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.