Descrição de chapéu
Octavio de Lazari Junior, Candido Bracher e Sérgio Rial

Por uma Amazônia sustentável e de todos nós

Presidentes dos três maiores bancos privados do país escrevem artigo conjunto em defesa da Amazônia

Octavio de Lazari Junior

Presidente do Bradesco

Candido Bracher

Presidente do Itaú Unibanco

Sérgio Rial

Presidente do Santander Brasil

Temos presenciado iniciativas importantes em prol de um desenvolvimento sustentável da região Amazônica, muitas delas vindas de atores que até então não haviam entrado no centro do debate. A premência de um novo modelo de desenvolvimento econômico para a região está posta. Temos agora o desafio de conciliar um modelo de desenvolvimento que seja justo, próspero e que use de forma planejada as riquezas naturais disponíveis.

É imprescindível que este modelo seja sustentável e impulsionado por investimentos públicos e privados que construam uma economia de baixas emissões, inclusiva e direcionada para o futuro.

A região Amazônica vive contrastes. Detentora de uma reserva ainda desconhecida de riquezas biológicas, abundância de água, tradições e riquezas culturais, ela também convive com ilegalidades, desigualdade, injustiças sociais e baixos índices de desenvolvimento econômico. E sem que as questões legais sejam atendidas, por meio da atuação firme do estado no que diz respeito à legislação ambiental, os demais desafios tornam-se ainda mais complexos, talvez até mesmo intransponíveis.

Queimada em Altamira, Pará - João Laet - 27.ago.2019/AFP

A Amazônia tem pressa, e o momento exige uma ação coordenada de todos nós. O equilíbrio de um ecossistema social, econômico e ambiental complexo como o da região não será constituído com ações isoladas. Líderes empresariais, governos, sociedade civil e todos nós, cidadãos, precisamos assumir o nosso papel na construção de um modelo de desenvolvimento ainda inédito no planeta.

Como líderes dos três maiores bancos privados no país, sabemos do potencial e da grande responsabilidade do sistema financeiro em promover esse debate e estimular iniciativas eficazes na região. A hora é de agir.

Por isso, entregamos oficialmente ao governo, em 22 de julho, nosso compromisso com a Amazônia. São dez medidas concretas, com três principais eixos estratégicos baseados no apoio à conservação ambiental e ao desenvolvimento da bioeconomia; no investimento em infraestrutura sustentável; e na contribuição para a garantia dos direitos básicos da população. Com essas medidas, pretendemos:

  • Atuar visando ao desmatamento zero no setor de carnes, reforçando diligências internas, apoiando a transição e articulando empresas e associações para a criação de um compromisso setorial;
  • Estimular as monoculturas sustentáveis (exemplos: cacau, açaí, castanha e óleo de palma) por meio de linhas de financiamento diferenciadas e/ou ferramentas financeiras e não financeiras;
  • Estimular o desenvolvimento da infraestrutura de transporte (exemplo: hidroviário) com metas ambientais, em troca de condições diferenciadas (exemplos: funding, exigências e parceiros);
  • Viabilizar investimentos em infraestrutura básica para o desenvolvimento social (exemplos: energia, internet, moradia e saneamento);
  • Fomentar projetos que visem o desenvolvimento econômico e a conservação por meio de ativos e instrumentos financeiros de lastro verde (exemplos: PSA, CBIOs e Crédito de Carbono);
  • Incorporar os impactos das mudanças climáticas nas políticas de crédito e investimentos de longo prazo e dar ênfase a isso em nossos relatórios;
  • Ampliar o alcance de negócios que promovam a inclusão e a orientação financeira na região;
  • Articular e apoiar a implantação do sistema informatizado de registro de regularização fundiária;
  • Articular a criação de um fundo para atores e lideranças locais que trabalhem em projetos de desenvolvimento socioeconômico na região;
  • Atrair investimentos que promovam parcerias e desenvolvimento de tecnologias que impulsionem a bioeconomia.

Reconhecemos que ainda há muito por fazer, mas este é o primeiro passo importante que damos em conjunto. Temos uma grande oportunidade de promover, a partir do mercado financeiro, iniciativas que efetivamente transformem a região. Esse é o nosso compromisso. Compromisso com uma Amazônia inclusiva, sustentável, desenvolvida e de todos os brasileiros.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.