Descrição de chapéu China

Trump assina decreto que proíbe transações com TikTok em 45 dias

Empresa americana estuda compra das operações do app de vídeo chinês no mundo

Washington e São Paulo | AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou nesta quinta-feira (6) um decreto que proibirá em 45 dias qualquer transação com a ByteDance, proprietária chinesa da rede social TikTok.

Trump citou uma "urgência nacional" em sua medida contra o aplicativo de vídeos, acusado pelo mandatário, sem provas, de espionar os usuários americanos para Pequim, em um contexto de tensões comerciais e políticas entre Estados Unidos e o gigante asiático.

O TikTok, por meio de sua comunicação no Brasil, disse estar chocado com a recente ordem de Trump e que por quase um ano tentou encontrar uma solução construtiva para as preocupações expressas pelo governo americano.

"Descobrimos que o governo não prestou atenção aos fatos, ditou termos de um acordo sem passar por processos legais padrão e tentou se inserir nas negociações entre empresas privadas", segundo a nota da empresa. "Esclarecemos que o TikTok nunca compartilhou dados dos usuários com o governo chinês, nem censurou o conteúdo a seu pedido."

A ordem de Trump, ainda segundo a mensagem, "corre o risco de minar a confiança das empresas globais no comprometimento dos Estados Unidos com o Estado de direito, que serviu como um ímã para investimentos e estimulou décadas de crescimento econômico americano".

Donald Trump se despede de jornalistas em frente a Casa Branca em Washington, Estados Unidos - Jim Watson/AFP

A negociação ente a Microsoft e a chinesa foi formalmente anunciada no domingo (2) após conversa entre o seu presidente-executivo, Satya Nadella, e Donald Trump.

Em um blog da empresa, a companhia afirmou que considera as preocupações de Trump e confirmou que estava agilizando as discussões com a ByteDance, dona do aplicativo de vídeos, notificando o governo dos EUA sobre uma possível aquisição de ativos da TikTok no país.

Trump disse na semana passada que não era a favor de um de um acordo com a empresa chinesa, e planejava proibir o app nos Estados Unidos, alegando questões de segurança nacional.

Nesta quinta-feira (6), o jornal Financial Times noticiou que a Microsoft estava procurando um acordo para adquirir todas as operações mundiais do TikTok, incluindo operações do app de vídeos na Índia e Europa, de acordo com cinco pessoas informadas sobre as negociações.

O TikTok é propriedade da ByteDance, companhia de internet chinesa avaliada em US$ 100 bilhões. Isso provocou uma investigação do app, e autoridades do governo Trump disseram que temem que ele constitua uma ameaça à segurança nacional. ​

Wang Wenbin, porta-voz do ministério das relações exteriores da China, disse em entrevista coletiva nesta sexta que o país se opõe firmemente ao decreto de Trump e promete defender os direitos e interesses de empresas chinesas.

Após o anúncio de Trump, as bolsas da China registraram queda. O índice CSI300, que reúne as bolsas de Xangai e Shenzen, caiu 1,7% até o fim da manhã no horário local. Já o índice Hang Seng, de Hong Kong, caiu 1,5% no período. ​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.