Descrição de chapéu The Wall Street Journal

ByteDance descarta venda de TikTok para Microsoft e fecha parceria com Oracle

Chinesa optou por um acordo de parceira com a norte-americana; negociações acontecem em meio a tensões geopolíticas entre os dois países

Nova York | The Wall Street Journal

A Oracle venceu a disputa pelas operações americanas do app de vídeo TikTok, segundo fontes do The Wall Street Journal, superando a Microsoft. As negociações acontecem em meio a tensões geopolíticas entre China e Estados Unidos.

A Oracle deve ser anunciada como “parceira de tecnologia oficial” do TikTok nos EUA, e a transação provavelmente não será estruturada como uma venda direta.

O próximo passo é que a Casa Branca e o Comitê de Investimento Estrangeiro nos EUA aprovem o acordo. Segundo o The Wall Street Journal, os envolvidos acreditam que parceira satisfaça as preocupações sobre segurança de dados mencionadas pelo governo norte-americano.

A decisão da ByteDance, controladora do TikTo, surge dias depois o governo chinês colocar as negociações em questão ao promulgar novas restrições, no final do mês passado, à exportação do tipo de tecnologia de inteligência artificial usada pelo TikTok.

Os algoritmos que determinam os vídeos servidos aos usuários, e que são considerados como o ingrediente secreto do TikTok, eram vistos como parte das negociações da transação até a mudança de política pelas autoridades chinesas, o que gerou questões entre as partes envolvidas nas negociações sobre como avaliar o negócio de mídia social.

A estrutura da transação com a Oracle não foi anunciada de imediato, o que inclui se ela abarcaria ou não uma transferência dos algoritmos.

Duas pessoas familiarizadas com o acordo envolvendo a Oracle disseram que o mais apropriado seria defini-lo como uma parceria, em lugar de uma aquisição, e deram a entender que não haveria troca de ativos significativos.

Pelo menos parte dos atuais investidores na ByteDance, entre os quais os grupos americanos de capital para empreendimentos Sequoia Capital e General Atlantic, terão participações no empreendimento, como parte do acordo, disseram pessoas informadas sobre o assunto.

A possibilidade de que o acordo não incluísse uma venda aberta havia sido noticiada anteriormente pelo The Wall Street Journal.

O presidente Trump afirmou repetidamente que fecharia o TikTok nos Estados Unidos se ele não fosse vendido a uma empresa americana até 15 de setembro, ainda que não esteja claro que esse prazo limite seja sério.

Em uma ordem executiva no dia 6 de agosto, a Casa Branca deu à ByteDance um prazo de 45 dias antes de proibir o app, que o governo Trump caracteriza como ameaça econômica e de segurança nacional aos interesses dos Estados Unidos, caso não seja vendido a compradores americanos. Isso daria um prazo até 20 de setembro para que as partes cheguem a um acordo.

A Microsoft, que tinha formado uma parceria com a Walmart para a tentativa de aquisição do TikTok, anunciou mais cedo no domingo que havia sido notificada da decisão pela ByteDance.

“Estamos confiantes em que nossa proposta teria sido boa para os usuários do TikTok e ao mesmo tempo protegeria os interesses de segurança nacional”, afirmou a companhia. “Para fazê-lo, teríamos promovido mudanças consideráveis a fim de garantir que o serviço atenda aos padrões mais elevados de segurança, privacidade, proteção online e combate à desinformação, e deixamos esses princípios claros em nosso comunicado de agosto”.

Em declaração divulgada na noite de domingo (13), a Walmart deu a entender que estava estudando aderir ao grupo da Oracle, afirmando que continuaria “a discutir com a liderança da ByteDance e outras partes interessadas”.

Embora a China tenha recentemente anunciado restrições comerciais que complicam a aquisição do algoritmo do TikTok, a Microsot continuava determinada a adquirir os poderosos algoritmos de sugestão do app, disse uma pessoa informada sobre o assunto. Sem a aquisição direta dos algoritmos, a Microsoft não seria capaz de cumprir seu compromisso quanto às questões de segurança nacional.

O interesse da Oracle pelo TikTok é motivado principalmente pelo desejo de acelerar o desenvolvimento de suas operações incipientes de computação em nuvem, que estão muito atrás das líderes de mercado Amazon e Microsoft, disseram pessoas informadas sobre o assunto.

Os planos da Microsoft eram mais ambiciosos que os da Oracle, disse uma pessoa. Controlar o TikTok ajudaria a Microsoft a ter mais presença entre os consumidores comuns, uma área que a companhia em geral abandonou, em s ua dedicação aos usuários empresariais, com exceção das operações de videogames da divisão Xbox. O TikTok também teria oferecido à Microsoft um rico reservatório de dados sobre usuários, muitos quais jovens e mulheres, uma área sobre a qual a companhia não tem muito insight no momento.

O The New York Times havia noticiado anteriormente que a Microsoft havia sido notificada da decisão da ByteDance.

Tradução de Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.