Professor de finanças sustentáveis Rodrigo Tavares é novo colunista da Folha

Tavares é presidente do Granito Group, instituição com foco em economia sustentável

São Paulo

A Folha estreia nesta quarta-feira (16) a coluna quinzenal do professor de finanças sustentáveis Rodrigo Tavares.

Especialista em desenvolvimento econômico e relações internacionais, Tavares é professor na Nova SBE (School of Business and Economics), em Portugal. Ele também foi pesquisador nas universidades americanas Harvard, Columbia e Califórnia-Berkeley, além de ter atuado como consultor em agências da ONU (Organização das Nações Unidas).

Em 2015, Tavares fundou o Granito Group, instituição com foco em economia sustentável, com práticas de consultoria estratégica e banca de investimentos.

Natural da cidade de Castelo Branco, em Portugal, Tavares foi chefe do departamento de relações exteriores do governo do estado de São Paulo entre 2011 e 2014.

Professor de finanças sustentáveis Rodrigo Tavares
Professor de finanças sustentáveis Rodrigo Tavares - Pedro Loureiro/Divulgação

Neste ano, o professor colaborou com duas publicações para a seção Ilustríssima da Folha, com os textos "Lucro com propósito e pesquisa colaborativa devem sair fortalecidos da pandemia" e "Eleitores arrependidos de Bolsonaro precisam assumir sua culpa".

Na editoria de Mercado, Tavares pretende discutir em sua coluna temas ligados às finanças, economia e sustentabilidade e analisar a transformação do mundo corporativo e do mercado financeiro em torno de questões ESG (sigla para práticas ambientais, sociais e de governança).

"O mercado financeiro funcionava com a mesma lógica havia 500 anos, só olhando para as métricas financeiras. Foi nos últimos 5 a 15 anos que os investidores passaram a incorporar dados da sociedade, do meio ambiente e de governança corporativa", diz.

"Esses dados impactam financeiramente os ativos que serão comprados. Conhecendo eles, conseguimos diminuir riscos. Hoje ninguém quer investir numa empresa que tem problema de ineficiência energética ou de falta de diversidade."

Para o professor, o crescente interesse pelos ESG tem relação direta com a crise financeira de 2008, na qual foi necessário reavaliar premissas do mercado. "Foi aí que começamos a levar em consideração outros fatores para tomar decisões mais sofisticadas."

A coluna de Tavares será publicada quinzenalmente às quartas-feiras, alternando com o professor de economia comportamental e psicologia Dan Ariely.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.