Descrição de chapéu Pix

644 instituições poderão fazer cadastro de clientes no Pix a partir de segunda-feira, diz BC

Segundo autoridade monetária, participação dos bancos e outras instituições financeiras nessa etapa não é obrigatória

Brasília

O Banco Central afirmou que 644 instituições financeiras estão aptas a cadastrar seus clientes no novo sistema de pagamentos instantâneos, chamado de Pix, a partir da próxima segunda-feira (5).

"O BC está atualizando diariamente a lista de instituições que estão aptas a entrar em produção no Pix e a participar da etapa antecipada do cadastro das chaves", disse em nota.

Com a ferramenta, o consumidor fará transferências e pagamentos a qualquer hora, inclusive aos fins de semana, em menos de dez segundos.

Segundo a autoridade monetária, a participação dos bancos e outras instituições financeiras nessa etapa, que vai até 2 de novembro, não é obrigatória.

Para cadastrar os clientes, as instituições precisam ter o cadastro aprovado e homologado pelo BC.

Jovem utiliza caixa digital e autônomo (sem atendente) para fazer pagamentos de compra em supermercado
Com Pix, consumidor fará transferências e pagamentos a qualquer hora, inclusive aos fins de semana, em menos de dez segundos - Zanone Fraissat-30.ago.17/Folhapress

"Até o momento, 644 instituições já estão prontas para iniciar de forma segura o cadastro das chaves na próxima semana. O número vem crescendo de forma contínua, o que demonstra o forte engajamento e compromisso do mercado para o sucesso e adoção do Pix como meio de pagamento", afirmou a autoridade monetária.

No primeiro momento, apenas bancos com mais de 500 mil clientes são obrigados a oferecer o Pix em 16 de novembro, quando a nova ferramenta começa a funcionar. Ao todo, 35 instituições que se enquadram nesse grupo.

Destas, 25 vão começar a cadastrar chaves dos clientes na segunda-feira. "Dentre as instituição aprovadas, há uma multiplicidade de agentes, entre bancos, cooperativas, instituições de pagamentos, fintechs, financeiras, entre outros, o que reforça o caráter aberto e universal do Pix", explicou.

Instituições menores terão de oferecer o serviço a partir de 1º de junho de 2021.

As transações poderão ser feitas entre bancos diferentes e serão gratuitas ao usuário, mas empresas poderão ser tarifadas.

Pela câmera do celular, o consumidor poderá escanear o QR code, integrada ao aplicativo do banco ou da fintech, e realizar o pagamento ou transferência. As transações serão feitas por meio de QR code estático ou dinâmico.

O estático é gerado uma vez só pelo estabelecimento, para todas as operações. Nesse caso, a pessoa terá que digitar o valor. O dinâmico é um QR code gerado a cada operação, já com o valor definido.

O cliente pode consultar se a instituição com a qual tem relacionamento aderiu ao serviço de pagamentos instantâneos pelo site do BC.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.