Descrição de chapéu The New York Times

Empresas nos EUA adiam retorno aos escritórios para julho de 2021

Google, Uber, Airbnb, Microsoft e outras grandes empresas estão na lista

Nova York | The New York Times

Quando a pandemia do coronavírus levou ao fechamento dos escritórios nos Estados Unidos, em março, muitas empresas informaram aos seus trabalhadores que eles ficariam afastados de seus locais de trabalho por um período curto.

As empresas informaram que os trabalhadores estariam de volta aos seus cubículos em questão de semanas. Esse prazo de algumas semanas terminou por se estender até setembro. E de setembro, para janeiro. Agora, com o vírus ainda em alta em algumas partes do país, número crescente de empregadores está postergando a data de retorno ao escritório uma vez mais, para a metade de 2021, ou ainda além.

O Google foi uma das primeiras companhias a anunciar julho de 2021 como sua data de retorno ao escritório. Uber, Slack e Airbnb logo aderiram a esse cronograma. Na semana passada, Microsoft, Target, Ford Motor e o The New York Times afirmaram que eles também haviam adiado o retorno de seu pessoal ao escritório até a metade do ano que vem, reconhecendo o inevitável: a pandemia não está dando sinais de que desaparecerá em breve.

“O melhor é aceitar o fato”, disse Joan Burke, vice-presidente de pessoal da DocuSign, em San Francisco. Em agosto, sua empresa, que oferece sistemas de gestão para assinaturas eletrônicas de documentos, decidiu que permitiria que seus 5,2 mil empregados trabalhassem de casa até junho de 2021.

“Ainda estamos em uma situação na qual a doença continua a evoluir”, ela disse. “Nenhum de nós tem todas as respostas”.

Muito mais empresas devem postergar a data de retorno dos trabalhadores ao escritório, para mantê-los em segurança. E os trabalhadores afirmaram não ter pressa de voltar; 73% dos trabalhadores empregados nos Estados Unidos temem que estar no lugar de trabalho possa representar um risco para sua saúde e segurança pessoal, de acordo com um estudo encomendado pela Envoy, uma empresa de tecnologia para o local de trabalho, à Wakefield Research.

Mais empresas estão afirmando, além disso, que adotarão políticas permanentes de trabalho em casa, para que seus empregados nunca mais precisem voltar aos escritórios.

Em maio, o Facebook foi uma das primeiras companhias a anunciar que permitiria que muitos de seus empregados trabalhassem remotamente mesmo depois da pandemia. Twitter, Coinbase e Shopify anunciaram que fariam o mesmo. Na sexta-feira, a Microsoft também se tornou uma das empresas que adotarão essa mudança.

Tradução de Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.