Descrição de chapéu Financial Times

Ações dos EUA batem novo recorde com esperança pela vacina contra Covid-19

Mais de 95% das empresas no índice de referência avançaram, dando ao S&P 500 seu segundo avanço semanal consecutivo

Londres | Financial Times

As ações nos Estados Unidos avançaram para uma alta recorde na sexta-feira (13) em uma ampla recuperação, enquanto os investidores sopesavam o agravamento da pandemia de coronavírus contra as esperanças de potenciais vacinas.

O índice S&P 500 ganhou 1,4%, recuperando-se de suas perdas no pregão anterior, com forte desempenho de energia e financeiras, enquanto as ações de tecnologia caíam. Mais de 95% das empresas no índice de referência avançaram, dando ao S&P 500 seu segundo avanço semanal consecutivo. Ele se recuperou pouco menos de 10% desde o início de novembro.

O Nasdaq Composite subiu 1% na sexta —insuficiente para colocar o índice em território positivo durante a semana. Os investidores deixaram de lado as ações tecnológicas com preços elevados, pois apostam que uma descoberta da vacina para Covid poderia proporcionar um empurrão em empresas economicamente mais sensíveis.

As ações de viagens subiram, com Delta Air Lines, United Airlines e as operadoras de cruzeiros Carnival e Norwegian em alta de pelo menos 5% na sexta-feira.

Os ganhos das ações dos EUA nesta semana acompanharam uma onda de ingressos em fundos de ações. Os investidores adicionaram US$ 32 bilhões (R$ 175,5 bilhões) aos fundos de ações dos EUA na semana até quarta, o segundo maior comprometimento semanal em pelo menos duas décadas, de acordo com o provedor de dados EPFR.

"Os mercados de ações estarão aguardando [ventos contrários em curto prazo] a vacina com bastante confiança", disse John Vail, estrategista-chefe global da Nikko Asset Management. "A menos que [o vírus] sofra uma mutação que realmente anule a vacina, posso ver os ativos de risco subindo."

O anúncio de segunda-feira (9) da americana Pfizer e da alemã BioNTech de bons resultados de um teste em estágio final de sua vacina para Covid-19 alimentou uma furiosa recuperação em muitos ativos, apesar de os casos globais de coronavírus e mortes continuarem aumentando. Mas o apetite dos investidores por risco inverteu seu curso no meio da semana, quando a realidade do agravamento da pandemia se impôs e analistas alertaram que a fabricação e distribuição de vacinas em grande escala levaria tempo.

"Imunizar a maior parte da população mundial pode ser um desafio logístico, especialmente diante da desconfiança generalizada sobre a segurança da vacina", disseram analistas da BCA Research.

Ed Raymond, chefe de gestão de portfólio para o Reino Unido no banco privado suíço Julius Baer, disse que os grandes movimentos no início da semana foram "técnicos", impulsionados pelas negociações de curto prazo. Mas a rotação para "áreas mais degradadas do mercado", como as ações financeiras, deve continuar no longo prazo, acrescentou.

À medida que a pandemia se agravou, os governos nacionais e locais impuseram ou reforçaram as restrições sociais para conter a propagação do vírus. A França tomou medidas para ampliar seu bloqueio nacional. Nos Estados Unidos, três estados da costa oeste —Califórnia, Oregon e Washington— aconselharam os residentes a fazerem quarentena depois de viajarem para fora do estado, enquanto Chicago emitiu um aviso de permanência em casa por 30 dias.

Depois de alternar entre perdas e ganhos no pregão da manhã, o índice europeu Stoxx 600 fechou estável, enquanto o FTSE 100 de Londres fechou em queda de 0,4%. Apesar de perder terreno na quinta-feira (12), ambos os benchmarks terminaram a semana em forte alta.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.