Descrição de chapéu Itaú

Itaú reformula comitê executivo após anúncio de saída de diretores

Chefes de varejo e do Itaú BBA deixarão o banco quando novo presidente assumir, em fevereiro

São Paulo

O Itaú Unibanco anunciou nesta sexta-feira (11) os novos integrantes do comitê executivo do banco. A nova configuração vem após o anúncio de que Márcio Schettini, diretor-geral de varejo, e Caio Ibrahim David, diretor-geral de atacado e presidente do Itaú BBA, deixarão o banco em 2 de fevereiro.

Ambos se desligam na mesma data de despedida de Candido Bracher, atual presidente da instituição. O banco anunciou a escolha de Milton Maluhy Filho como sucessor de Bracher no comando do Itaú.

Segundo fontes a par do assunto, na nova composição, Alexandre Zancani, atual diretor executivo do banco, será responsável pelas áreas de veículos, crédito imobiliário e consórcio, além de Itaú Correspondente, pela aquisição digital de clientes e pela área de crédito para pessoas físicas e recuperação de crédito do varejo.

Itaú anuncia nova formulação de seu comitê executivo
Itaú anuncia nova formulação de seu comitê executivo - Sergio Moraes - 28.jan.2020/Reuters

André Rodrigues será o responsável pelo banco de varejo –que corresponde por Itaú Agências, Itaú Uniclass, Personnalité, Empresas, Franquias, produtos para pessoas físicas e jurídicas, CRM (sigla em inglês para a área de relacionamento com clientes), canais digitais e UX (sigla para experiência do consumidor)–, além das áreas de seguros e crédito para pessoas jurídicas.

Marcos Magalhães, também diretor executivo da instituição, irá ajudar na transição dos cargos para as áreas de créditos para pessoas jurídicas, crédito para pessoas físicas e recuperação de crédito para o varejo, pelo tempo necessário.

André Sapoznik, atual vice-presidente de tecnologia e operações, será o responsável pela nova área de pagamentos do banco, englobando as áreas de cartão de crédito, Rede, iti e cash management (estrutura do Marcos Cavagnoli).

Sapoznik também incorporará a área de marketing do banco e seguirá responsável pelas áreas de operações e atendimento.

Carlos Constantini será o responsável pela WMS (sigla para Wealth Management & Services, ou gestão de riquezas), englobando as áreas de Asset Management (gestão de ativos), Fund of Funds (fundo de fundos), Private Global e vertical de Investimentos, produtos de Investimentos e DISO (Investment Services and Operations).

Flávio Souza , atual diretor executivo, ocupará o cargo deixado por Ibrahim, na presidência do Itaú BBA.

Souza também será responsável pelas áreas de banco comercial, CIB (Corporate and Investment Banking), distribuição de renda fixa e renda variável e Research (que permanece sob gestão de Mário Mesquita), bem como pelas áreas de crédito do Atacado.

Ainda segundo as fontes, o banco também criará uma estrutura que englobará as áreas de tesourarias, produtos ativos e mesas de clientes, macroeconomia e as operações do banco na América do Sul e Cone Sul (Argentina, Paraguai e Uruguai).

Essa nova estrutura acontece para substituir Álvaro Pimentel, que assumirá a área de DISO na estrutura de serviços e gestão de riquezas.

Chris Egan, que faz parte da diretoria do Itaú BBA, também deixará o banco. O nome para substituí-lo ainda não foi divulgado.

Alexsandro Broedel será diretor financeiro do banco, responsável pelas áreas de finanças e relações com investidores, ativos imobiliários e pelas áreas de patrimônio, compras e ativos.

Leila Mello será a responsável pelas áreas do jurídico, ouvidoria, comunicação institucional, sustentabilidade e relações governamentais.

Matias Granata será o novo diretor de riscos do banco, responsável pela área de riscos de mercado, crédito e operacional, gestão de capital e pelas áreas de Compliance e PLD (Prevenção à Lavagem de Dinheiro).

Ricardo Guerra será o responsável pela área de Tecnologia e Sérgio Fajerman pela área de pessoas.

A nova composição do comitê executivo começará a operar a partir de 2 de janeiro.


RAIO-X DO ITAÚ NO 3º TRIMESTRE DE 2020

Lucro líquido
R$ 5 bilhões

Carteira de crédito no Brasil
R$ 625 bilhões

Margem financeira
R$ 16,9 bilhões

Funcionários
96,9 mil

Principais concorrentes
Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal e Santander​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.