Republicanos barram tentativa de democratas de aumentar auxílio em pacote econômico dos EUA

Na terça (22), Trump declarou que valor deveria ser maior; sessão foi encerrada e volta na segunda-feira (28)

Washington | AFP

A minoria republicana da Câmara de Representantes bloqueou nesta quinta-feira (24) uma tentativa dos democratas de emendar o plano de ajuda negociado por ambos os partidos que foi barrado pelo presidente Donald Trump, que exigiu um aumento no valor do auxílio.

Depois de meses de negociações, os democratas e republicanos chegaram a um acordo de um pacote de US$ 900 bilhões (R$ 4,6 trilhões) para impulsionar a uma economia devastada pela crise provocada pela Covid-19.

O acordo foi alcançado em um momento chave, antes de 26 de dezembro, quando expira uma série de ajudas extraordinárias do plano estabelecido no início da pandemia, o que poderia deixar muitas famílias sem qualquer tipo de renda.

Na noite de terça-feira (22), Trump surpreendeu os legisladores ao rejeitar o acordo, que inclui um auxílio de US$ 600, e exigiu um aumento para US$ 2.000 por pessoa.

A presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, tentou nesta quinta aprovar por unanimidade o acréscimo no benefício, mas os republicanos bloquearam a iniciativa.

"Hoje, na véspera de Natal, os republicanos da câmara cruelmente privaram os americanos dos US$ 2.000 que o presidente concordou em apoiar", disse Pelosi.

A líder democrata apontou que, se Trump leva realmente a sério sua proposta, ele deve pedir aos republicanos que parem com a "obstrução".

Mais tarde, Pelosi informou que havia enviado a lei aprovada a Trump na segunda e pediu-lhe urgência para assiná-la.

No centro da questão está a possibilidade de o presidente não exercer o veto, mas que simplesmente deixe passar o prazo para sancioná-la, o que faria com que a lei passasse para a legislatura seguinte, que começa em 3 de janeiro.

Enquanto isso, durante sessão nesta quinta, os republicanos tentaram alterar a quantia da ajuda estrangeira incluída no pacote orçamentário –outra das demandas de Trump– e a oposição respondeu barrando a iniciativa.

Diante dessa jogada, o líder da minoria republicana na Câmara acusou os democratas de sofrerem de problemas de "audição seletiva". Com isso, a sessão foi encerrada e a casa não se reunirá até segunda-feira (28).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.