Boeing 737 MAX é seguro para retornar ao serviço na Europa, diz regulador

Agência diz ter 'plena confiança de que a aeronave é segura'

Paris | Reuters

O Boeing 737 MAX está seguro para retornar ao serviço na Europa, disse a Agência de Segurança da Aviação da União Europeia (EASA) nesta quarta-feira (27), suspendendo a proibição de voos que durou 22 meses após dois acidentes com o jato que causaram 346 mortes.

"Temos plena confiança de que a aeronave é segura, que é a pré-condição para dar nossa aprovação. Mas continuaremos a monitorar as operações do 737 MAX de perto enquanto a aeronave retoma o serviço", disse o diretor-executivo da EASA, Patrick Ky.

"Paralelamente, e por nossa insistência, a Boeing também se comprometeu a trabalhar para aprimorar ainda mais a aeronave no médio prazo, a fim de atingir um nível de segurança ainda maior", afirmou.

De volta os ares

A autorização para o retorno dos voôs com o Boeing 737 MAX nos EUA foi aprovada em novembro passado, quando a FAA (o órgão regulador do setor aéreo do país) disse estar satisfeita com as correções do projeto e do procedimento de treinamento ​que a empresa aplicou ao modelo.

O avião estava proibido de voar há 20 meses, após ter sua operação suspensa em todo o mundo devido a um problema de software que causou dois acidentes fatais.

Dentre as exigências de adequação do projeto estão a configuração do sistema de controle de voo, correção do roteamento do conjunto de cabos, revisões de procedimentos incorporados ao manual de voo e testes de recalibração dos sensores. Também houve a revisão do programa de treinamento dos pilotos.

Dias depois da aprovação nos EUA, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) também aprovou a retomada da operação do Boeing 737 MAX no país.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.