Descrição de chapéu Financial Times 5g Internet

SoftBank acusa ex-funcionário de vazar informações sobre 5G a rival

Rakuten confirma a detenção do empregado, mas diz que não há roubo de segredo comercial

Kana Inagaki
Tóquio | Financial Times

Um ex-empregado da divisão de telefonia móvel do SoftBank foi preso por suspeita de roubar segredos comerciais, antes de deixar a empresa e se transferir à rival Rakuten quando o grupo de comércio eletrônico estava preparando um esforço para se tornar a quarta operadora de telefonia móvel do Japão.

O SoftBank acusou o ex-empregado de revelar informações confidenciais sobre sua tecnologia para estações-base de redes 4G e 5G, a fim de ajudar a incursão da Rakuten nas telecomunicações.

Em comunicado, Yoshihisa Yamada, presidente da divisão de telefonia móvel da Rakuten, confirmou a detenção do empregado na terça-feira (12) e disse que a companhia cooperaria plenamente com a investigação policial.

Logo da SoftBank em conferência em Tóquio
Logo da SoftBank em conferência em Tóquio - Issei Kato - 20.jul.2017/Reuters

Mas a Rakuten Mobile afirmou que sua investigação interna não havia revelado que o empregado roubou qualquer segredo comercial sobre redes 5G. A empresa acrescentou que não havia usado qualquer das informações supostamente roubadas pelo empregado para seus negócios.

A concorrência entre as duas rivais tecnológicas se aprofundou depois do ingresso da Rakuten no mercado de telefonia móvel no ano passado, com uma rede própria e ofertas de preços que desordenaram o mercado.

A disputa crescente pressiona as perspectivas de lucro das quatro operadoras japonesas em um momento no qual o primeiro-ministro Yoshihide Suga também vem exigindo repetidamente que elas reduzam os preços da telefonia móvel.

Embora casos que envolvem acusações de roubo de segredos comerciais não sejam raros no Vale do Silício e na China, acusações desse tipo entre empresas importantes são incomuns no Japão.

O caso também expõe a vulnerabilidade de empresas em termos das medidas de segurança adotadas para impedir que empregados revelem tecnologias a rivais.

Em suas acusações, o SoftBank afirmou que os segredos comerciais roubados permitiriam que a Rakuten criasse sua rede móvel mais rápido e a preço mais baixo.

“Nossos segredos comerciais estão instalados no computador da Rakuten Mobile que nosso ex-empregado usa no trabalho, e acreditamos que exista uma forte possibilidade de que a Rakuten Mobile esteja usando esses segredos de alguma forma”, a empresa afirmou.

O SoftBank disse que planeja abrir um processo contra a Rakuten Mobile a fim de impedir a rival de usar seu know-how, e que está considerando solicitar indenização ao seu ex-empregado.

A polícia metropolitana de Tóquio confirmou na terça-feira que havia detido um homem de 45 anos por suspeita de transferência ilegal de segredos comerciais, mas não mencionou o SoftBank ou a Rakuten. De acordo com o comunicado da polícia, o suspeito supostamente teria acessado segredos comerciais no servidor de computação em nuvem da empresa vítima em dezembro de 2019, e os enviado à sua conta pessoal de email.

O SoftBank disse ter percebido o suposto roubo em fevereiro do ano passado, e que depois disso apertou suas medidas de segurança.

Se for considerado culpado de violar a lei de prevenção de concorrência desleal japonesa, o ex-empregado do SoftBank pode ficar exposto a uma pena de até 10 anos de prisão ou multa de até 20 milhões de ienes (US$ 192 mil), ou ambos.

Tradução de Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.