Tesla divulga primeiro ano completo de lucros

O desempenho da fabricante de veículos elétricos fez sua ação disparar mais de 700% no ano passado

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Rebecca Elliott
The Wall Street Journal

A Tesla Inc. divulgou seu primeiro lucro para o ano inteiro, impulsionado pela venda recorde de veículos em meio à pandemia global e à crescente demanda por carros elétricos, que está levando a empresa a prever um forte aumento na produção neste ano.

A montadora do Vale do Silício disse na quarta-feira (27) que espera aumentar a produção em cerca de 50% em média nos próximos anos —e atingir esse índice em 2021. A empresa entregou cerca de 500 mil veículos a clientes no ano passado, mais de um terço acima dos níveis de 2019, mesmo com as vendas mundiais de automóveis caindo cerca de 14%, segundo a pesquisadora LMC Automotive.

O presidente-executivo Elon Musk sugeriu no ano passado uma meta de entregar de 840 mil a 1 milhão de veículos em 2021. A projeção de Wall Street é de cerca de 796 mil veículos.

Para 2020, a Tesla relatou um lucro de US$ 721 milhões (R$ 3,8 bilhões) sobre cerca de US$ 31,5 bilhões (R$ 170 bilhões) em vendas, comparados à perda de US$ 862 milhões e vendas de US$ 24,6 bilhões em 2019. A empresa superou a expectativa de receita de Wall Street de cerca de US$ 31,1 bilhões, de acordo com a FactSet, embora tenha falhado nas previsões de lucros.


A Tesla disse que seus resultados financeiros no último trimestre foram prejudicados por uma série de fatores, incluindo custos da cadeia de suprimentos e preparativos para lançar versões atualizadas de seu sedã de luxo Model S e o veículo utilitário-esportivo Model X.

As ações da montadora caíram mais de 6% após o fim do pregão.

A Tesla obteve lucros trimestrais durante a pandemia, apesar do fechamento temporário da única fábrica da empresa nos Estados Unidos por causa da crise de saúde. Para controlar o impacto, o presidente-executivo, Elon Musk, lutou com as autoridades locais para reabrir a fábrica, reduziu temporariamente os salários, dispensou trabalhadores e buscou redução do aluguel. No final do ano, ele testou positivo para Covid-19.

O desempenho da empresa de 17 anos, juntamente com o maior entusiasmo dos investidores sobre veículos elétricos, fizeram as ações dispararem mais de 700% no ano passado e transformaram a Tesla na fabricante de automóveis mais valiosa do mundo. A série de lucros trimestrais também permitiu que ela garantisse uma vaga no índice S&P 500.

A Tesla gerou lucros de US$ 270 milhões no quarto trimestre, acima dos US$ 105 milhões no mesmo período de 2019. As vendas no período de outubro a dezembro aumentaram cerca de 46% em relação aos três meses finais de 2019, para cerca de US$ 10,7 bilhões.

Os resultados financeiros foram impulsionados pela venda de créditos regulatórios para fabricantes de automóveis rivais, que precisam deles para cumprir as regras relacionadas às emissões. Esses créditos renderam cerca de US$ 1,6 bilhão no ano passado, contra US$ 594 milhões em 2019.

A Tesla se beneficiou da crescente demanda por veículos elétricos na China, onde a empresa começou a entregar veículos feitos localmente em 2019. A empresa expandiu a capacidade de produção em suas instalações de Xangai e neste mês entregou seus primeiros veículos utilitários-esportivos Model Y feitos na China.

Mas a Tesla também enfrenta o aumento da concorrência de fabricantes de automóveis tradicionais, como General Motors e Ford, e uma frota de startups que estão desenvolvendo seus próprios modelos "plug-in", inclusive na China.

Para apoiar seu crescimento, a empresa pretende abrir duas novas fábricas neste ano, uma perto de Austin, no Texas, e outra próxima de Berlim, na Alemanha, a primeira na Europa. A Tesla também planeja lançar uma caminhonete e um semirreboque.

A ascensão da Tesla de uma startup corajosa à montadora de automóveis mais valiosa do mundo tem sido difícil às vezes. A empresa sempre teve dificuldades para apresentar novos veículos, como o compacto Model 3, e enfrentou desafios de produção que afetaram suas finanças.

A Tesla também não cumpriu algumas das promessas mais grandiosas de Musk, como lançar um serviço de táxi-robô até o final de 2020.

Mais recentemente, os reguladores federais pediram neste mês à Tesla para realizar o recall de cerca de 158 mil veículos devido a falhas na tela de toque que podem afetar as funções de segurança, incluindo câmeras de ré. A Tesla não respondeu a um pedido de comentário sobre se pretende dar continuidade ao recall, que seria uma de suas maiores ações de segurança até o momento.

A Tesla reforçou sua posição de caixa recentemente, com a venda de bilhões em novas ações. Musk disse que a empresa usaria os fundos para pagar dívidas e acumular o que ele chamou de baú de guerra.


RAIO-X DA TESLA EM 2020
Lucro líquido - US$ 721 milhões
Número de carros produzidos e vendidos no ano - 500 mil
Receita bruta - US$ 31,5 bilhões
Principais concorrentes - Volkswagen, Ford, BMW, GM

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.