Folha e FGV debatem novo auxílio após salto na taxa de pobreza

Seminário online com especialistas será realizado na quinta (25) às 10h

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O fim do auxílio emergencial em dezembro fez com que 2021 começasse com um salto na taxa de pobreza extrema no Brasil.

No momento em que governo federal e Congresso procuram realizar mais rodadas de ajuda aos pobres, o país tem mais pessoas na miséria hoje do que antes da pandemia —e mais que no início da década passada, em 2011.

Em janeiro, 12,8% dos brasileiros passaram a viver com menos de R$ 246 ao mês (R$ 8,20 ao dia), linha de pobreza extrema calculada pela FGV Social a partir de dados das Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios (Pnads) Contínua e Covid-19.

No total, segundo projeção da FGV Social, quase 27 milhões de pessoas estão nessa condição —mais que a população da Austrália.

Com a pandemia ainda longe de controle, o que deve impactar negativamente a atividade econômica neste primeiro trimestre, a concessão de uma nova modalidade de auxílio emergencial passou a ser prioridade.

Para debater o tema, a Folha e o Ibre-FGV (Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getulio Vargas) promove nesta quinta (25), a partir das 10h, seminário online com especialistas.

Participam os pesquisadores do Ibre-FGV Daniel Duque e Fernando Veloso e o professor do Insper Naercio Menezes. A mediação será do repórter especial da Folha Fernando Canzian.​

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.