Descrição de chapéu Internet google jornalismo

Globo passa todo acervo para nuvem e cria parceria inédita com Google

Produtos digitais da empresa serão 100% migrados para o Google Cloud

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A Globo e o Google anunciaram nesta quarta-feira (7) uma parceria inédita no mundo entre a gigante de tecnologia e uma empresa de mídia.

Em um acordo de sete anos, a emissora vai exportar todo seu acervo digitalizado para o Google Cloud, serviço de nuvem da companhia americana, e utilizar dos processos de gerenciamento de dados e de inteligência artificial do Google para oferecer seu conteúdo audiovisual.

Além do acervo, a Globo vai migrar etapas da produção e da distribuição do conteúdo para a nuvem do Google. Serão transferidos 100% dos centros de dados da Globo e todos os produtos de serviços digitais (como Globoplay, o serviço de streaming, Gshow e G1).

Imagem do BBB; Globoplay, serviço de streaming da emissora, será migrado para a nuvem pública
Imagem do BBB; Globoplay, serviço de streaming da emissora, será migrado para a nuvem pública - Reprodução/Globo/AFP

Até então, a Globo operava a partir de centros de dados próprios, como um grande data center no Rio de Janeiro. Dessa forma, a emissora planejava o consumo de dados anual e investia o necessário para dar conta da demanda. Mesmo sendo uma infraestrutura com nuvem, ela era privada e menos escalável.

“Quando entramos em uma escala de consumo como a atual, esse modelo não é mais econômico”, diz Raymundo Barros, diretor de estratégia e tecnologia da Globo. Segundo ele, em muitos momentos a capacidade ficava abaixo da demanda e, em outros, a demanda superava a capacidade.

“Com 3 milhões de pessoas votando no paredão [do BBB] no mesmo momento, posso rapidamente escalar minha capacidade utilizando recursos de inteligência artificial e aprendizado de máquina para o número de votos”, acrescenta.

Nesse modelo, quando a votação do BBB terminar, por exemplo, a nuvem reprograma capacidade e o cliente paga somente pela disponibilidade que usou, o que gera eficiência de custo, no caso da Globo.

Outra aposta da emissora é tornar os produtos digitais como o Globo Play cada vez mais personalizados, com direcionamento ao que assinante tende a consumir, usando serviço de inteligência artificial do Google.

Segundo a emissora, a transmissão de jogos esportivos, por exemplo, terá toda sua produção feita na nuvem, e os grandes caminhões que costumavam ocupar os estádios para a produção passarão a ser obsoletos.

"Você leva para o ginásio um pequeno data center sobre rodas, uma pequena van com um conjunto de servidores em que liga apenas câmeras e microfones e os conecta na nuvem pública. O comentarista narrador, os produtores e técnicos podem estar em casas produzindo todo o evento esportivo", afirma.

O acordo será de cocriação, então o Google se beneficia ao lançar novos projetos e soluções de mercado para o setor de mídia a partir da parceria com a Globo. Segundo Eduardo Lopez, presidente de Google Cloud para a América Latina, não outra uma parceria da empresa desse tipo no mundo.

Um dos projetos em andamento é a integração customizada do Globoplay com a Android TV, com o objetivo de combinar a programação da TV aberta e a TV via internet.

A Globo também passa a adotar novas ferramentas do Google para conseguir levar à TV aberta métricas e modelos de negócio típicos da internet.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.