Descrição de chapéu União Europeia

Legislativo francês aprova proibição de voos domésticos curtos para diminuir emissão de carbono

Medida faz parte de uma lei do clima que visa cortar as emissões de carbono na França em 40% até 2030, pelos níveis de 1990

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Paris | Reuters

Legisladores franceses votaram na noite do último sábado (10) o cancelamento dos voos domésticos em rotas que podem ser cobertas por trens em menos de duas horas e meia, enquanto o governo tenta reduzir as emissões de carbono e a indústria de transporte aéreo sofre com a pandemia.

A medida faz parte de uma lei do clima mais ampla, que visa cortar as emissões de carbono na França em 40% até 2030, pelos níveis de 1990, embora ativistas acusem o presidente francês, Emmanuel Macron, de diluir promessas anteriores na elaboração da lei.

A votação ocorreu dias depois de o Estado dizer que contribuiria para uma recapitalização de 4 bilhões de euros da Air France, mais que duplicando sua participação na empresa, para reforçar suas finanças depois de mais de um ano de contenção de viagens por causa da Covid-19.

Aviões da Air France no aeroporto de Paris-Charles de Gaulle, no oitavo dia de lockdown no país, em 2020 - Thomas Samson - 24.mar.2020/AFP

A ministra da Indústria, Agnes Pannier-Runacher, rejeitou críticas da indústria de aviação de que a recuperação da pandemia não é o momento para proibir voos domésticos, e disse que não há contradição entre a ajuda e a lei do clima.

"Sabemos que a aviação é um contribuidor de dióxido de carbono e que por causa da mudança climática precisamos reduzir as emissões", disse ela à rádio Europe 1. "Igualmente, devemos apoiar nossas empresas, e não deixá-las cair nas laterais."

O tráfego aéreo poderá não retornar aos níveis anteriores à pandemia até 2024, preveem analistas da McKinsey.

Alguns ativistas ambientais disseram que a lei não vai longe o suficiente. Um fórum de cidadãos para o clima fundado por Macron para ajudar a moldar a política climática havia pedido a anulação dos voos em rotas onde a viagem de trem dura menos de 4 horas.

A votação na noite de sábado na Assembleia Nacional foi a primeira. A lei vai para o Senado antes de uma terceira e última votação na Câmara, dominada pelo partido de Macron e aliados.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.