Descrição de chapéu Financial Times

Amazon negocia para adquirir MGM por US$ 9 bilhões

Estúdio produz a franquia James Bond e é um dos poucos de Hollywood a não ter sido abocanhado por um conglomerado

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Anna Nicolaou James Fontanella-Khan Dave Lee
Nova York e São Francisco | Financial Times

A Amazon está negociando para adquirir o estúdio de cinema MGM, que produz a franquia James Bond, por cerca de US$ 9 bilhões (R$ 47,3 bilhões), de acordo com pessoas informadas sobre o assunto.

Depois de uma onda de consolidação intensa, a MGM é um dos poucos estúdios de Hollywood a não ter sido abocanhado por um conglomerado maior. O estúdio Warner Bros. opera como parte da AT&T; a Fox é controlada pela Disney; a Universal pela Comcast; e a Paramount é parte da ViacomCBS.

A sequência de transações no setor redespertou na segunda-feira com notícias sobre uma fusão entre o grupo Discovery e a WarnerMedia, agora que grupos de mídia tradicionais estão correndo para criar escala a fim de competir com as grandes companhias de tecnologia em um setor de entretenimento dominado pelo streaming online.

Como no caso de outros estúdios de cinema, a MGM foi fortemente atingida pela pandemia do coronavírus. As salas de cinema ficaram vazias nos Estados Unidos e na Europa pela maior parte do ano passado, e a MGM já adiou quatro vezes o lançamento de “No Time to Die”, um novo “blockbuster” da saga Bond.

A Amazon está em negociações para adquirir a lendária MGM, produtora da franquia James Bond - Valerie Macon - 18.mai.21/AFP

Com o filme suspenso e a Covid-19 disparando no final do ano passado, a Netflix negociou com a MGM para adquirir “No Time to Die” para lançamento em streaming, mas o preço que o estúdio pediu era proibitivo, disseram pessoas informadas sobre o assunto. O filme tem lançamento marcado para o dia 30 de setembro no Reino Unido e para o dia 8 de outubro nos Estados Unidos.

A MGM conta com um acervo extenso de filmes e programas de TV, entre os quais “Fargo”, “The Handmaid’s Tale” e as franquias Bond e The Hobbit.

O maior acionista do estúdio é o fundo de hedge Anchorage Capital, que começou a adquirir dívidas da MGM em 2010 como parte de um plano de concordata posterior à crise financeira. A MGM reportou receita líquida de US$ 29 milhões (R$ 152,4 milhões) sobre um faturamento total de US$ 403 milhões (R$ 2.119 bilhões) no primeiro trimestre.

A Amazon se recusou a comentar. A MGM não respondeu a um pedido de comentário.

A gigante do comércio eletrônico está em meio a uma retomada de seus planos no setor de entretenimento, depois de informar ao seu pessoal na semana passada que Jeff Blackburn, por muito tempo um dos auxiliares mais próximos do presidente-executivo Jeff Bezos, voltaria à companhia para dirigir uma nova “organização internacional de mídia e entretenimento”.

A unidade incorporará a ampla variedade de conteúdo de entretenimento controlado pela Amazon, do serviço de streaming Prime Video ao site de streaming de videogames Twitch.

No ano passado, a Amazon investiu US$ 11 bilhões (R$ 57,8 bilhões) na criação, aquisição ou licenciamento de conteúdo musical e de vídeo para os assinantes do serviço Prime, ante US$ 7,8 bilhões (R$ 41 bilhões) em 2019.

A companhia também vem adquirindo direitos de transmissão de esportes ao vivo, o que inclui um contrato com a NFL em valor de cerca de US$ 1 bilhão (R$ 5,2 bilhões) por ano, para a transmissão das partidas de futebol americano da noite de quinta-feira.

Em carta recente aos acionistas, Bezos anunciou que a Amazon tinha mais de 200 milhões de assinantes no serviço Prime.

O site de notícias tecnológicas The Information foi o primeiro a noticiar as negociações entre a Amazon e a MGM.

Traduzido originalmente do inglês por Paulo Migliacci

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.