Descrição de chapéu The New York Times

AT&T confirma venda de operações de mídia para a Discovery

Transação envolverá HBO, estúdios Warner, CNN e diversas outras redes de TV, além de uma série de canais que exibem reality shows na Discovery como o OWN, de Oprah Winfrey

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Edmund Lee e John Koblin
The New York Times

A operadora de telefonia móvel AT&T, que invadiu o setor de mídia há três anos com visões grandiosas de vender serviços de streaming de vídeo aos milhões de assinantes de seus celulares, fechou um acordo para promover a cisão da sua divisão WarnerMedia e fundi-la com a programadora rival Discovery. O acordo foi anunciado pelas companhias nesta segunda-feira (17).

A transação combinará a HBO, os estúdios Warner, a CNN e diversas outras redes de TV a cabo com uma série de canais de TV a cabo que exibem reality shows na Discovery, entre os quais o OWN, de Oprah Winfrey, HGTV, The Food Network e Animal Planet.

A companhia unirá duas das maiores operações de mídia dos Estados Unidos. O WarnerMedia Group da AT&T inclui as redes de TV a cabo TNT e TBS, que têm uma programação esportiva robusta. Além da linha de canais de reality shows da Discovery, a companhia tem fortes operações internacionais de esportes.

A fusão também representaria uma reviravolta abrupta para a AT&T, uma gigante das telecomunicações mais conhecida por operar redes de fibra óptica e torres de telefonia móvel do que por produzir entretenimento e cortejar Hollywood. Especialistas do setor questionaram a aquisição da Time Warner pela AT&T em um momento no qual a fuga de assinantes dos serviços de TV a cabo estava aumentando. A cisão indica que a estratégia por trás da fusão fracassou.

Logo da AT&T em pregão da Nyse, bolsa de valores de Nova York - Brendan McDermid - 16.mai.21/Reuters

A WarnerMedia é dirigida por Jason Kilar, 50, um dos pioneiros dos serviços de streaming, e primeiro presidente-executivo do serviço de streaming Hulu. A Discovery está há 14 anos sob o comando de David Zaslav, 60, que ajudou a transformá-la em um gigante dos realities. Zaslav ficará à frente da nova companhia.

As empresas disseram esperar que o negócio, que precisa ser aprovado pelos acionistas da Discovery e pelas autoridades regulatórias, seja concluído na metade do ano que vem.

A nova companhia será maior que a Netflix e que a NBCUniversal. Juntas, WarnerMedia e Discovery geraram mais de US$ 41 bilhões em vendas no ano passado, com lucro operacional superior a US$ 10 bilhões. Uma quantia como essa colocaria a nova empresa à frente da Netflix e da NBCUniversal e atrás da Disney, tornando-a a segunda maior companhia de mídia dos Estados Unidos.

Para competir com a Netflix e a Disney, tanto AT&T quanto Discovery têm investido fortemente em streaming. A AT&T investiu bilhões na construção do serviço HBO Max, que agora tem cerca de 20 milhões de assinantes. Já a Discovery tem 15 milhões de assinantes de streaming em todo o mundo, a maior parte dos quais no app Discovery+.

John Stankey, presidente-executivo da AT&T, pensava no negócio de mídia como uma forma de convencer os clientes de telefonia da empresa a não optar por outras operadoras. Os assinantes da AT&T Wireless recebem descontos ou acesso grátis ao HBO Max. Uma transação com a Discovery deve incluir cláusulas que mantenham esses benefícios para os assinantes.

Antes de assumir a presidência executiva, em 2020, Stankey era o principal estrategista da empresa para fusões. Além de planejar a aquisição da Time Warner pela AT&T, ele esteve por trás da aquisição pela companhia da operadora de TV via satélite DirecTV, por US$ 48 bilhões, em 2015. O serviço vem perdendo assinantes há anos.

Em fevereiro, a AT&T vendeu parte do negócio ao grupo de capital privado TPG por cerca de US$ 16 bilhões, um terço do valor pago originalmente.

Para a Discovery, a transação com a WarnerMedia pode, enfim, dar a Zaslav o porte e a escala que ele procura há muito tempo. Executivo ousado, capaz de lembrar de cabeça os índices de audiência de sua programação, Zaslav representa o último herdeiro da velha guarda da mídia, um magnata bem relacionado conhecido pelas festas luxuosas que dá em sua casa nos Hamptons, em Nova York.

A nova companhia criaria um gigante da mídia com formato novo, que continuaria a viver dos polpudos lucros dos serviços antiquados de TV a cabo, mas investiria esses lucros (e mais) em serviços de streaming.

Mesmo diante de concorrência cada vez maior, a HBO continua a ser destaque na televisão, e no ano passado voltou a conquistar mais prêmios Emmy do que qualquer outra rede, estúdio ou plataforma, incluindo a Netflix.

A rede tem diversos programas de sucesso, entre os quais “Succession”, “Curb Your Enthusiasm”, “Barry” e “Last Week Tonight With John Oliver”. Também tem um grande acervo de sucessos antigos, que inclui “Família Soprano”, “Game of Thrones” e “Sex and the City”.

Traduzido originalmente do inglês por Paulo Migliacci

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.