Conselho da Vale terá 8 integrantes independentes, incluindo ex-presidente da Petrobras

Companhia diz que novo conselho terá missão de continuar transformação, acelerada 'após o rompimento da barragem de Brumadinho'

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Marta Nogueira
Rio de Janeiro | Reuters

O novo Conselho de Administração da mineradora Vale terá oito integrantes considerados independentes, versus três anteriormente, incluindo o ex-presidente da Petrobras Roberto Castello Branco, informou a companhia em comunicado ao mercado nesta segunda-feira (3).

O colegiado, que contará ainda com outros cinco integrantes, foi eleito em assembleia de acionistas nesta segunda, realizada de forma virtual, devido aos protocolos de combate à transmissão do novo coronavírus.

O resultado da assembleia permitiu que a companhia tenha um independente a mais do que o mínimo previsto no novo estatuto.

Logo da Vale em portão em Brumadinho, Minas Gerais - Adriano Machado - 29.jan.2019/Reuters/File Photo

A mineradora ressaltou que o encontro de acionistas foi um marco fundamental no processo de restruturação societária da companhia iniciado em 2017 e que tornou a Vale uma corporação sem controle definido, com base de acionistas diversificada.

Os membros independentes eleitos são: José Luciano Duarte Penido (eleito presidente do Conselho), Ollie Oliveira, Marcelo Gasparino, Mauro Cunha, Murilo Passos, Rachel Maia, Roberto Castello Branco e Roger Downey.

Os membros não-independentes são Fernando Buso (eleito vice-presidente do Conselho), José Maurício Coelho, Eduardo Rodrigues Filho e Ken Yasuhara. O 13º integrante do Conselho é Lúcio Azevedo, eleito pelos empregados.

"Com as escolhas feitas pelos acionistas, o Conselho da Vale se torna mais representativo da nossa diversidade acionária, com quatro membros eleitos indicados diretamente por investidores", disse em nota o presidente eleito do colegiado, José Luciano Penido.

Em seu comunicado, a Vale afirmou que "o novo Conselho terá a missão de liderar a Vale em um processo de transformação que foi acelerado após o rompimento da barragem de Brumadinho, em 2019", com diversas mudanças em sua governança e a criação de metas para o chamado ESG, sigla em inglês para medidas ambientais, sociais e de governança.

Segundo a Vale, foi a primeira vez que o presidente e o vice-presidente do conselho foram escolhidos pelos próprios acionistas, conforme passou a estabelecer o estatuto da Vale este ano. Até então eles eram eleitos entre os membros do próprio conselho.

Penido tem 27 anos de experiência na governança de empresas, das quais 17 como presidente-executivo e dez como presidente de Conselhos de Administração nos ramos de mineração e celulose, disse a Vale. Ele é membro do Conselho da Vale desde maio de 2019.

A Vale destacou que o processo de reestruturação societária da Vale teve início em fevereiro de 2017, quando o bloco de controle da empresa à época anunciou a intenção de torná-la uma companhia sem controle definido. Em novembro de 2020 expirou o acordo de acionistas celebrado pelos integrantes do antigo bloco de controle, o que tornou a Vale oficialmente uma empresa de capital disperso.

A reunião de acionistas desta segunda-feira foi também a primeira sem um acordo de acionistas vigente.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.