Descrição de chapéu Financial Times

Elon Musk diz que Tesla não pretende mais aceitar pagamentos em bitcoin

Executivo-chefe passa de defensor a crítico, citando o impacto ambiental da criptomoeda

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Richard Waters
San Francisco | Financial Times

Elon Musk inverteu seu apoio à bitcoin nesta quarta-feira (12), ao dizer que a Tesla está suspendendo os planos de aceitar pagamentos por seus carros usando a criptomoeda.

Ele atribuiu a mudança de opinião a preocupações ambientais sobre o mecanismo usado para validar as transações em bitcoins, apontando uma ampla revisão das ideias sobre a moeda digital que poderá pôr em dúvida seu crescente apelo entre outras companhias.

Musk enfrentou críticas agudas ao recente apoio da Tesla à criptomoeda, incluindo de investidores ESG, que levam em conta questões ambientais, sociais e de governança. Seu entusiasmo pela moeda faminta de energia vai contra as preocupações sobre a mudança climática que o executivo-chefe da Tesla sempre disse que levaram ao seu envolvimento com os carros elétricos.

O preço da bitcoin saltou 15% em um único dia em fevereiro, depois que a Tesla revelou ter aplicado US$ 1,5 bilhão de seu caixa corporativo na moeda digital e planejava um dia aceitá-la em pagamento por seus veículos. A notícia foi amplamente considerada uma validação importante da bitcoin no mundo corporativo e provocou um amplo debate entre tesoureiros de empresas sobre o uso da moeda.

Em um breve comunicado divulgado no Twitter na quarta, Musk disse: "Estamos preocupados com o uso em rápido crescimento de combustíveis fósseis para mineração e transações com a bitcoin, especialmente carvão, que tem emissões piores que qualquer combustível".

A bitcoin usa um mecanismo de "prova de trabalho", contando com os chamados mineradores que empregam grandes núcleos de computadores para resolver quebra-cabeças usando um algoritmo de consenso.

A declaração de Musk terminou dizendo que a Tesla está "examinando outras criptomoedas que usem <1% da energia por transação da bitcoin" —comentário que poderá ser uma vacina para as moedas digitais que têm métodos que usam menos energia para validar as transações.

Ether, a segunda criptomoeda mais valiosa, disse que está mudando para um sistema alternativo conhecido como "prova de jogo", que não depende de alto consumo de energia.

Musk também pareceu prometer tirar a Tesla de negociações em bitcoins para aumentar seus futuros lucros. Os investidores da empresa ficaram surpresos no mês passado ao descobrir que ela tinha vendido parte de seus ativos em criptomoeda em algumas semanas com um lucro de US$ 101 milhões.

Juntamente com as vendas de créditos ambientais, o lucro em negócios com a moeda mais que compensou o prejuízo no negócio principal da Tesla, os automóveis, no primeiro trimestre do ano.

"Não vamos vender nenhuma bitcoin", disse o chefe da Tesla em sua declaração, embora não tenha esclarecido por quanto tempo manterá a criptomoeda ou se planeja aplicar mais de seu caixa livre em bitcoins.

O comunicado pareceu marcar um recuo do uso da bitcoin nas operações de tesouro da Tesla. Diretores da companhia descreveram recentemente suas vendas como prova da liquidez da moeda, tornando-a um ativo adequado para tesoureiros —uma consideração que seria minada se a Tesla não for mais usá-la como fonte de liquidez.

O preço da bitcoin caiu cerca de 4% depois da declaração de Musk.

A mudança de posição sobre a bitcoin também poderá projetar uma sombra sobre a dogecoin, criptomoeda que teve um dos maiores ganhos neste ano, graças em grande parte ao apoio declarado de Musk. Assim como a bitcoin, a dogecoin emprega um mecanismo de prova de trabalho.

Tradução de Luiz Roberto M. Gonçalves

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.