Mercado Livre anuncia investimento de R$ 4 bi em SP

Empresa deve contratar 5.000 pessoas em parceria com governo estadual

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Cajamar (SP)

O Mercado Livre anunciou nesta segunda-feira (17) que dos R$ 10 bilhões anunciados em investimentos para o Brasil neste ano, R$ 4 bilhões serão destinados ao estado de São Paulo. Em evento em Cajamar (SP) com o governador João Doria (PSDB), a empresa disse que vai empregar 5.000 pessoas por meio de uma parceria com o governo estadual.

Os postos de trabalho estão concentrados nos centros de distribuição de Cajamar e de Louveira. A formação e o recrutamento vão contemplar estudantes de Etecs (escolas técnicas estaduais) e Fatecs (faculdades de tecnologia) das regiões de Cajamar, Louveira, Sorocaba e Osasco.

Serão 400 postos em tecnologia, 4.100 em logística e 400 em outros setores da empresa. As contratações já começaram.

Doria e Fernando Yunes
Fernando Yunes (esq.) e João Doria durante evento no centro de distribuição do Mercado Livre, em Cajamar (SP) - Divulgação/Governo de São Paulo

Segundo Doria, São Paulo representa cerca de 40% do movimento de logística online do país e o ecommerce é um dos setores que mais vai crescer nos próximos anos. O investimento do Mercado Livre foi o maior aporte privado durante a gestão do tucano no estado.

A parceria entre a companhia e o governo também inclui 100 mil vagas em um curso de ecommerce, criado com o Centro Paula Souza e o Sebrae-SP, e uma linha de microcrédito a 340 mil empreendedores do Mercado Livre, concedida pelo Banco do Povo.

"Em março e abril tivemos os maiores números de empresas abertas em 22 anos. É importante apoiar os empreendedores, com acesso a curso e programas de microcrédito", disse Patrícia Ellen, secretária de Desenvolvimento do estado.

Durante a pandemia, a companhia, que tem sede na Argentina, ajudou a formalizar mais de 66 mil empresas brasileiras que começaram a vender mercadorias no site.

O investimento no estado em 2021 representa o valor total direcionado ao Brasil no ano passado. A previsão é de investimentos ainda maiores em 2022, mesmo que o crescimento do ecommerce tenda a desacelerar no pós-pandemia.

"Vemos um potencial enorme da evolução do ecommmerce. A penetração no Brasil ainda está na casa de 11%. Considerando o ano passado; antes da pandemia, era de 5%. Nos Estados Unidos, chegou a 25%, e na China, passou dos 40%", afirmou Fernando Yunes, líder de ecommerce da empresa no Brasil.

Segundo ele, 85% dos vendedores da plataforma estão em São Paulo. A companhia pretende abrir mais um centro de distribuição em Cajamar e outro em Minas Gerais.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.