Descrição de chapéu Financial Times Ásia

Presidente da Vale diz que minério de ferro não vai passar por novo superciclo

Para Eduardo Bartolomeo, aumento nos preços do minério no último ano foi muito diferente do boom no início dos anos 2000

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Neil Hume Michael Pooler
Financial Times

O minério de ferro não está à beira de um novo superciclo, segundo o chefe de uma das maiores mineradoras do mundo, que espera que a demanda pelo ingrediente para fabricar aço se estabilize depois de alguns anos do atual aperto.

Eduardo Bartolomeo, executivo-chefe da mineradora brasileira Vale, disse que o aumento recorde nos preços do minério de ferro no último ano foi muito diferente do boom no início dos anos 2000, que foi impelido pela rápida industrialização da China.

"No último superciclo tínhamos a urbanização na China. Foi uma mudança estrutural. Um choque de demanda", disse ele ao Financial Times. "Não estamos falando sobre um enorme choque de demanda agora. Eu diria que é marginal. Não é um choque."

Mas ele acrescentou que, com as economias globais se recuperando e os produtores de ferro funcionando perto da capacidade máxima, os preços poderão continuar elevados até 2023.

"Embora haja fortes discursos sobre cortes, a produção continua aumentando na China e agora você tem a Europa voltando e os Estados Unidos anunciando um enorme pacote de estímulo. Também houve restrições à oferta", disse ele. "Este mercado vai ficar apertado por algum tempo. Pelo menos dois anos."

Atual presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo, no evento Vale Day Nova York, em 2018 - Alyssa Ringler/Divulgação Vale Day

O minério de ferro comandou uma ampla recuperação das commodities no último ano, subindo mais de 150% para um pico recorde de mais de US$ 230 (R$ 1.209) a tonelada na última semana, principalmente devido à forte demanda das siderúrgicas chinesas, antes de aparar os ganhos e chegar a US$ 209,35 (R$ 1.101) na sexta-feira (14).

Como a produção de aço na China continua se expandindo, os analistas acreditam que os preços poderão se manter ao redor dos níveis atuais, mas dizem que o mercado será altamente volátil.

O desempenho turbinado do minério de ferro foi uma bênção para os grandes produtores, incluindo a Vale, que precisam de um preço de apenas US$ 50 (R$ 263) aproximadamente por tonelada para "ficar em casa".

Ele propiciou conversas sobre um novo superciclo das commodities —um período prolongado em que os preços ficam acima de sua tendência em longo prazo, geralmente desencadeado por um aumento estrutural da demanda ao qual a oferta demora a responder.

Depois do fatídico desastre em uma barragem há dois anos que matou 270 pessoas, principalmente empregados da companhia e contratados, a Vale foi obrigada a reduzir a produção.

Sua produção caiu de planejadas 400 milhões de toneladas por ano para 300 milhões em 2019 e 2020, e a companhia perdeu sua posição como a maior produtora de minério de ferro para a Rio Tinto, que conseguiu produzir cerca de 330 milhões de toneladas em cada um dos últimos dois anos.

Bartolomeo disse que a Vale precisava aumentar a produção para 400 milhões de toneladas porque o minério de ferro é um "negócio de altos custos fixos". No entanto, ele disse que a empresa o fará em um "modo muito lento", cuidando da segurança.

Erik Hedborg, analista na consultoria CRU, disse que o caminho da Vale para 400 milhões de toneladas levará tempo, porque exige o "reinício de muitas minas, que passarão por complexos processos de licenciamento".

Em médio prazo —de 2025 a 2030—, Bartolomeo disse que a Vale espera uma demanda menor da China por minério de ferro por causa do maior uso de sucata em fornos a arco elétricos.

"Todo mundo fala sobre a economia circular. As aparas vão chegar à China. Tem de acontecer. Vemos a China diminuindo a demanda por minério de ferro."

Bartolomeo disse que também haverá uma mudança para minério de ferro de maior qualidade porque a indústria siderúrgica tentará reduzir as emissões optando por métodos menos poluentes de siderurgia, como a produção baseada em hidrogênio.

"Todos os caminhos levam a minério de ferro de alta qualidade, e a Vale está muito bem posicionada para isso", acrescentou ele.

Tradução de Luiz Roberto M. Gonçalves

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.