Descrição de chapéu Ásia CRISE ENERGÉTICA

Crise energética da China afeta funcionamento de fábricas

Empresas passam a usar geradores a diesel ou encerram as atividades

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Gabriel Crossley Shivani Singh
Shenyang (China) | Reuters

Pequenas empresas afetadas pela crise energética prolongada da China estão ligando geradores a diesel ou simplesmente fechando, autoridades do setor carvoeiro expressaram temores a respeito dos estoques antes do inverno e a manufatura encolheu na segunda maior economia do mundo.

Pequim está correndo para disponibilizar mais carvão para prestadoras de serviço para restaurar o suprimento enquanto o nordeste do país sofre seus piores blecautes em anos, particularmente nas três províncias de Liaoning, Heilongjiang e Jilin, que abrigam quase 100 milhões de pessoas.

Gao Lai, que administra uma lavanderia industrial de Shenyang, a capital de Liaoning, disse que está perdendo dinheiro desde que a crise energética o obrigou a alugar um gerador a diesel.

"Só podemos pagá-lo durante quatro dias, mas se for por mais tempo, os custos são excessivos, não conseguimos sobreviver", disse ele à Reuters.

Caminhão transporta carvão em usina de energia movida a carvão em Shenyang, na China - Tingshu Wang - 29.set.2021/Reuters

As restrições foram provocadas pela escassez de carvão, que alimenta cerca de dois terços da geração de energia da China.

Os futuros do carvão termal da China fecharam esta quinta-feira com um aumento de 4,2% na Bolsa de Commodities de Zhengzhou depois de atingirem uma alta histórica de 218 dólares por tonelada.

O contrato disparou 96% no período de julho a setembro por causa dos suprimentos baixos e da procura elevada, seu maior salto trimestral desde o primeiro trimestre de 2017, levando a bolsa a estabelecer limites para as transações.

Separadamente, dados oficiais mostraram que a atividade industrial chinesa se contraiu em setembro pela primeira vez desde fevereiro de 2020.

Desde a semana passada, mais de 100 empresas, que vão de fabricantes de componentes eletrônicos a mineradoras de ouro, notificaram os mercados de ações sobre suspensões na produção, mas algumas disseram que a retomaram nos últimos dois dias.

Pessoas caminham perto de torres de energia em Shenyang, China - Tingshu Wang - 29.set.2021/Reuters

A tensão chega no momento em que a Associação do Setor Carvoeiro da China alertou que "não está otimista" a respeito dos suprimentos antes do inverno, a temporada de maior demanda, e acrescentou que os estoques de usinas de energia agora estão "obviamente baixos".

A entidade pediu às empresas que "não poupem esforços" para aumentar o suprimento e se concentrem nas vendas a consumidores menores de alta energia que não assinaram contratos de suprimento de longo prazo.

Embora a produção de carvão tenha atingido um pico em agosto, analistas do banco de investimento chinês CICC disseram que uma sequência recente de acidentes em minas fez as agências reguladoras ficarem mais cautelosas com a aprovação de expansões da produção.

(Colaboração de Min Zhang em Pequim, Brenda Goh e David Stanway em Xangai, Aizhu Chen em Cingapura e Tom Daly)

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.