Empresa israelense usa ar e água para armazenar energia solar para a noite

Presidente diz que Augwind Energy já arrecadou US$ 60 mi de investidores institucionais

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Mustafa Abu Ganeyeh Ari Rabinovitch
Kibbutz Yahel (Israel) | Reuters

A energia renovável dos sistemas movidos a energia solar e eólica no extremo sul de Israel não pode ser armazenada sem custo extra —um grande obstáculo nos esforços do mundo para se livrar dos combustíveis poluentes e evitar uma catástrofe climática.

Mas no Kibbutz Yahel, os moradores começaram a usar uma nova tecnologia que pode armazenar energia solar de forma barata e produzir energia no período noturno.

Durante o dia, o excesso de energia dos painéis solares aciona um sistema onde a água é usada para condensar ar, em tanques subterrâneos. Após o pôr do sol, o ar é liberado para alimentar uma turbina e gerar eletricidade. E o ciclo se repete pela manhã.

A instalação da Augwind Energy em Kibbutz Yahel, Israel - Ammar Awad - 30.nov.2021/Reuters

"Outros kibutzim estão esperando e observando para ver se isso funciona e certamente pode se tornar a solução de armazenamento de energia limpa para a região", disse Yossi Amiel, gerente de negócios de Yahel.

O sistema foi desenvolvido pela Augwind Energy, uma empresa negociada em Tel Aviv com valor de mercado de 1,2 bilhão de shekels (US$ 386 milhões, R$ 2,1 bi).

Ao contrário das plataformas acima do solo que trabalham com ar condensado e requerem um terreno significativo, a empresa diz que seu produto, um tanque de aço relativamente fino com um revestimento de polímero especial, pode ser colocado diretamente na fonte de energia com um custo menor.

A 'AirBattery' de Augwind é cerca de 80% eficiente no armazenamento de energia, um pouco menos do que as baterias, mas, ao contrário das baterias, não se degrada com o tempo.

O presidente-executivo da Augwind, ou Yogev, diz que o preço está no mesmo nível das baterias de íon de lítio, cerca de US$ 250 (R$ 1,4 mil) por quilowatt-hora, e que vai cair no próximo ano para menos de US$ 200 (R$ 1,1 mil) à medida que chegarem a mais clientes.

A empresa já arrecadou US$ 60 milhões (R$ 338,1 mi) de investidores institucionais, disse ele.

"Nos próximos anos, teremos milhares de megawatts-hora instalados usando a tecnologia 'AirBattery'. Essa é a nossa previsão", disse Yogev. "Mesmo isso, quando você compara com o tamanho do mercado, ainda é muito pequeno."

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.