Descrição de chapéu Financial Times tênis

Banqueiro viola quarentena para ver finais de Wimbledon e perde o cargo

Presidente do conselho do Credit Suisse renuncia após investigação apontar desrespeito a regras sanitárias

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Londres

António Horta-Osório, 57, renunciou à presidência do conselho Credit Suisse, após menos de um ano no cargo, por violações das regras de quarentena do coronavírus.

Investigação do conselho apontou que o português Horta-Osório, ex-presidente-executivo do Lloyds Banking Group, quebrou regras de quarentena, inclusive em uma viagem a Londres, no ano passado, para assistir às finais de tênis em Wimbledon.

O português Antonio Horta-Osorio, 57, que renunciou ao cargo de presidente do conselho do Credit Suisse
O português Antonio Horta-Osorio, 57, que renunciou ao cargo de presidente do conselho do Credit Suisse - Toby Melville - 6.out.15/Reuters

A apuração, concluída na semana passada, também citou um incidente em que Horta-Osório usou o jato particular do banco para férias pessoais nas ilhas Maldivas, segundo uma pessoa informada sobre o documento.

"Lamento que algumas das minhas ações pessoais tenham causado dificuldades ao banco e comprometido minha capacidade de representá-lo interna e externamente", disse Horta-Osório. "Portanto, acredito que minha demissão é do interesse do banco e de seus acionistas neste momento crucial."

A saída repentina é um grande constrangimento para o Credit Suisse, que recrutou o português para ajudar a redefinir sua estratégia depois que escândalos envolvendo a Greensill Capital e o family office Archegos prejudicaram a reputação do banco em gestão de riscos e levantaram dúvidas sobre sua liderança.

Axel Lehmann, ex-diretor de operações e chefe dos negócios suíços do UBS, foi convocado como novo presidente do conselho do Credit.

Andrew Coombs, analista do Citigroup, disse que Horta-Osório "ficará como uma pequena nota de rodapé na longa história do Credit Suisse", mas acrescentou que "sua saída deixa o Credit Suisse com falta de personagens fortes no topo, e questões de liderança provavelmente serão levantadas".

Lehmann disse que pretende manter a nova estratégia do grupo e não planeja grandes mudanças nas fileiras executivas.

"Estamos em constante diálogo com os acionistas", disse Lehmann ao Financial Times. "Estou muito confiante de que eles aceitarão a decisão de António e do conselho e darão à equipe administrativa o suporte necessário de que ela precisa."

As ações do Credit Suisse caíram 2,3% nesta segunda-feira (17).

Horta-Osório violou as regras de quarentena do Reino Unido quando voou para Londres e posteriormente assistiu às finais do torneio de tênis em Wimbledon, nos dias 10 e 11 de julho de 2021.

Na época, a Suíça estava na lista "âmbar" do Reino Unido de países que enfrentavam restrições, com os viajantes obrigados a se isolar durante dez dias após a chegada.

Em um incidente posterior, Horta-Osório violou as regras suíças da Covid-19 ao entrar e sair do país em três dias. Ele viajou de Londres para Zurique em 28 de novembro, logo depois da adoção pela Suíça de uma exigência de dez dias de quarentena após a identificação da variante ômicron.

Horta-Osório pediu desculpas pelo "erro" e caracterizou a violação como "não intencional".
No entanto, o jornal suíço Blick informou que ele inicialmente buscou isenções tanto do cantão local quanto do governo federal, mas foi informado de que não receberia tratamento especial e precisaria se isolar por dez dias completos.

Segundo uma pessoa próxima a Horta-Osório, o ex-presidente usou o jato corporativo do banco para fazer escala nas ilhas Maldivas depois de uma viagem de negócios pela Ásia.

Tradução de Luiz Roberto M. Gonçalves

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.