Descrição de chapéu Caixa Econômica Federal

Relembre denúncias de assédio sexual no último ano

Elon Musk, James Franco e Samuel Klein estão entre os suspeitos

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Curitiba

Vieram à tona na terça (28) denúncias de assédio sexual contra o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. O portal Metrópoles noticiou que ao menos cinco funcionárias do banco estatal relataram ter sido vítimas de assédio por Guimarães.

À Folha, uma sexta funcionária descreveu investidas que, segundo ela, foram feitas pelo chefe.

A busca por justiça em casos de assédio sexual ganhou força com a denúncia do caso Harvey Weinstein, que em 2020 foi condenado a 23 anos de prisão por estupro e agressão sexual.

Uma série de casos envolvendo o produtor de cinema foi revelada pelo jornal The New York Times em 2017, dando início a uma sequência de denúncias de políticos, celebridades e artistas e ao fortalecimento do movimento #MeToo.

Relembre algumas das denúncias de assédio sexual que vieram à tona no último ano.

Homem meio calvo, de camisa e gravata branca e paletó escuro, é levado pelos braços
O produtor Harvey Weinstein chega ao tribunal de Manhattan no qual foi julgado por estupro, entre outras agressões - Spencer Platt - 20.set.2020/Getty Images/AFP

Andrew Cuomo

Ex-governador de Nova York, Andrew Cuomo renunciou em agosto de 2021, em meio a denúncias de assédio sexual. A investigação concluiu que ele assediou sexualmente 11 mulheres.

As denúncias iniciaram quando uma ex-assessora do governador disse que ele teria perguntado sobre sua vida sexual e se já fez sexo com homens mais velhos. Outra ex-assessora disse que ele a teria beijado inesperadamente, tentado tocá-la inapropriadamente e sugerido que jogassem "strip poker".

O ex-governador nega que tenha tocado alguém inadequadamente ou feito propostas, diz que brinca com as pessoas sobre suas vidas pessoais e relacionamentos, mas que entende que suas interações "podem ter sido insensíveis ou pessoais demais".

Elon Musk

A SpaceX, empresa de transporte espacial de Elon Musk, teria pago teria pago US$ 250 mil a uma comissária de bordo em 2018, para encerrar uma acusação de assédio sexual. A informação é do site Business Insider.

A funcionária teria acusado Musk de atos como expor seu pênis ereto e oferecer-lhe um cavalo em troca de uma massagem erótica.

Musk afirmou que a alegação seria politicamente motivada e "totalmente falsa". Segundo o site, a SpaceX não respondeu.

Gabriel Monteiro

O vereador Gabriel Monteiro (PL-RJ) foi denunciado na sexta (24) por importunação e assédio sexual contra ex-assessora. O Ministério Público do Rio de Janeiro declara que o vereador obrigava a funcionária a participar de gravações de cenas de cunho sexual, sob ameaça de demissão, que eram então publicados em suas redes sociais.

Monteiro também é réu em caso de gravação de vídeo em que mantém relações sexuais com uma adolescente de 15 anos. O parlamentar disse que acreditava que a menina tinha 18 anos. Há outras investigações em curso contra o vereador, que nega as acusações.

Em abril, o Conselho de Ética da Câmara Municipal do Rio de Janeiro abriu processo que pode levar à cassação do mandato de Gabriel Monteiro.

James Franco

Em janeiro de 2018, cinco mulheres denunciaram o ator James Franco ao Los Angeles Times; em 2019, foi aberto processo. Ex-alunas afirmam que, em aulas de interpretação, teriam sido coagidas a fazer cenas de sexo explícito na frente das câmeras.

O ator admitiu ter tido relações sexuais com algumas estudantes, mas que o objetivo da aula não era abordar cenas de sexo, mas de romance que vivenciaram quando jovens.

Os advogados negam as acusações. Franco concordou em pagar mais de US$ 2,2 milhões para encerrar o processo.

Klaus Wietzke Brodbeck ​

Cirurgião plástico atuante em Porto Alegre (RS), Klaus Wietzke Brodbeck é acusado por dezenas de mulheres de crimes de assédio e importunamento sexual, envolvendo toques, cantadas e ofertas de procedimento estéticos em troca de favores que ele deixava implícito serem sexuais.

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul também investiga possível estupro a vulnerável, que teria ocorrido com paciente sedada. Uma ex-funcionária afirmou ter ouvido o médico mantendo relações sexuais com pacientes mais de uma vez, que pedia que o filmasse, comprasse preservativos e que andava nu no consultório.

O médico negou todas as acusações.

Rogério Caboclo

Em junho de 2021, Rogério Caboclo foi acusado por sua secretária de assédio moral e sexual. Então presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a Comissão de Ética determinou seu afastamento da posição por 21 meses.

A funcionária gravou conversas em que Caboclo questionava se a assessora "se masturbava". Também o acusa de tê-la chamado de "cadela", tentado forçá-la a comer um biscoito de cachorro e outros tipos de assédio.

A defesa de Caboclo nega que tenha havido assédio moral e sexual e afirma ser alvo de ações orquestradas por seu antecessor na presidência da CBF, Marco Polo Del Nero.

Samuel Klein

Dezenas de mulheres relatam ter sido vítimas de exploração sexual na infância e adolescência por Samuel Klein, fundador das Casas Bahia, morto aos 91 anos em 2014.

A Folha encontrou sete processos cíveis e três criminais contra Klein. Há relatos de acordos extrajudiciais feitos com as vítimas, além de casos terem sido considerados prescritos. O empresário nunca prestou contas à Justiça.

Em um dos casos, a defesa de Klein sugere tentativa de enriquecimento ilícito e litigância de má-fé, afirmando que se os fatos denunciados fossem verídicos, a suposta vítima não teria demorado tanto para procurar a Justiça.

Saul Klein

Saul Klein, um dos quatro filhos de Samuel Klein, também é acusado de estupro. Em dezembro de 2020, o empresário foi denunciado por 32 mulheres ao Ministério Público de São Paulo (MP-SP).

Em dezembro de 2019, Saul Klein disse ter oferecido R$ 1,6 milhão em troca de silêncio e discrição de duas jovens que ameaçavam divulgar fotos íntimas de encontros descritos como orgias em suas propriedades.

Após pedido de prisão preventiva em abril de 2022, o advogado André Boiani e Azevedo disse em nota que Saul Klein reafirma que nunca cometeu crime algum.

Sérgio Penna

Um dos principais preparadores de elenco no Brasil, Sérgio Penna foi acusado de assédio sexual por 36 mulheres. As denúncias envolvem atrizes em começo de carreira que sofriam assédio em seu curso e em confraternizações, sendo que há relatos de ao menos duas menores de idade.

Penna teria tentado beijar alunas a força, tocado suas partes íntimas sem autorização e cometido outras formas de abuso. Ele nega as acusações.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.