Práticas de consumo colaborativo ganham popularidade no Brasil

Caronas são parte do cotidiano de 42% das pessoas e 38% alugam casas para temporadas

São Paulo

A disposição dos brasileiros em adotar práticas de consumo colaborativo aumentou, segundo pesquisa realizada pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e pelo SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), divulgada nesta semana.

Do ano passado até este, o número de pessoas que disseram ter a intenção de compartilhar e trocar produtos e serviços nos próximos dois anos cresceu de 68% para 81%.

As modalidades que os consumidores dizem ter mais disposição em aderir são o coworking, citado por 61% dos entrevistados, o aluguel ou a troca de brinquedos (59%) e a hospedagem de animais de estimação na casa de outra pessoa (59%).

Caronas para ir ao trabalho, à faculdade ou para viajar já fazem parte do cotidiano de 42% dos brasileiros; 38% alugam casas para temporadas curtas e 33% compartilham ou alugam roupas.

Quase todas as pessoas (98%) veem vantagens no consumo colaborativo. Para 45%, é uma forma de economizar dinheiro; para 44%, a vantagem é o combate ao desperdício e, para 43%, é a diminuição do consumismo.

A pesquisa, realizada em todos os estados, tem margem de erro de 3,4 pontos e um intervalo de confiança de 95%.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.