Empresas simples de crédito chegam a 538 em nove meses

Número superou a expectativa do Sebrae, que agora prevê a criação de mil desses negócios em 2020

São Paulo

O número de Empresas Simples de Crédito (ESC) criadas entre abril e dezembro deste ano chegou a 538, segundo levantamento realizado pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

Still com cédula de cem reais
Cédula de R$ 100 - Gabriel Cabral/Folhapress

A quantidade superou a expectativa da instituição, que agora prevê a criação de mil desses negócios em 2020. 

 

A lei que criou essa figura jurídica da ESC, sancionada em abril deste ano, tem o objetivo de tornar mais barato o crédito para micro e pequenas empresas (MPE) e microempreendedores individuais (MEI)

Essas empresas atuam em operações de empréstimo, financiamento e desconto de títulos de crédito. 

A estimativa do Sebrae é que a criação da ESC injete cerca de R$ 20 bilhões por ano na economia do país. 

Hoje, o capital total das empresas dessa natureza soma mais de R$ 232 milhões, segundo a pesquisa. 

A média de cada uma delas fica em torno de R$ 434 mil, e o aporte mais frequente é de R$ 100 mil. Até agora, o maior capital de uma Empresa Simples de Crédito está em R$ 10 milhões.

A pesquisa do Sebrae também mostra que, desde que a lei foi sancionada, 64 empresas migraram suas atividades para a nova figura jurídica. 

Boa parte desse grupo que migrou é ligada ao factoring, um conjunto de serviços de fomento mercantil voltados a micro e pequenas empresas.

Segundo o levantamento, o estado de São Paulo lidera o ranking de empresas simples de crédito, com 187 delas registradas e um capital de R$ 80,7 milhões. O Paraná aparece em segundo lugar, com 47 empresas e R$ 20,4 milhões de capital total.

 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.