Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
24/10/2012 - 16h44

Donald Trump diz que doará US$ 5 mi se Obama provar cidadania

Publicidade

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

O multimilionário Donald Trump anunciou nesta quarta-feira que doará US$ 5 milhões de dólares (R$ 10,1 milhões) a uma instituição de caridade escolhida pelo presidente democrata Barack Obama, desde que ele divulgue documentos sobre sua solicitação de passaporte e de ingresso e permanência na universidade.

A oferta de Trump é um reforço às velhas insinuações entre alguns setores da oposição sobre Obama não ter nascido nos Estados Unidos, o que o impossibilitaria de ser presidente do país.

Trump, que ensaia lançar candidaturas em todas as eleições presidenciais americanas, não oculta sua torcida para que o republicano Mitt Romney vença o pleito de novembro.

Reuters
Donald Trump anuncia em vídeo que doará US$ 5 milhões (R$ 10,1 milhões) se o presidente Obama revelar seus documentos de solicitação de passaporte e de ingresso na universidade
Donald Trump anuncia em vídeo que doará US$ 5 milhões (R$ 10,1 milhões) se o presidente Obama revelar seus documentos de solicitação de passaporte e de ingresso na universidade

"Obama é o presidente menos transparente da história do país", afirmou Trump em mensagem em vídeo divulgada em seu perfil na rede social Facebook. "Sabemos muito pouco sobre nosso presidente", acrescentou.

"Eu queria muito assinar esse cheque", disse Trump. "Se ele liberar esses documentos, vai acabar com as dúvidas e até mesmo com a raiva que alguns americanos sentem."

Obama já divulgou em abril do ano passado sua certidão de nascimento. Ele disse então querer acabar de vez com os rumores sobre sua nacionalidade, que classificou como "tolices". Uma ala republicana radical assegurava que o presidente tinha nascido no Quênia, país de origem de seu pai.

Segundo Trump, há americanos que continuam tendo "sérias dúvidas sobre Obama". Eles não acreditam que ele tenha realmente nascido em Honolulu, no Estado americano do Havaí, como diz sua certidão.

O prazo que o milionário deu a Obama para que mostre seus documentos acaba no dia 31 de outubro.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Voltar ao topo da página