DA AFP

O Conselho de Estado de Cuba marcou para 11 de março, domingo, eleições para delegados provinciais e deputados, processo que culminará em 19 de abril com a eleição do sucessor do ditador Raúl Castro, 86.

Embora o regime de partido único prevaleça –o sucessor de Raúl deve ser seu vice, Miguel Díaz-Canel, 57, também membro do Partido Comunista– será a primeira vez desde a Revolução Cubana (1959) que a ilha será governada por alguém fora da família Castro.

As eleições quinquenais, que tradicionalmente são realizadas em fevereiro, foram adiadas em um mês por causa do furacão Irma, que deixou dez mortos e prejuízos de US$ 13 bilhões na ilha.

Os cubanos votarão em delegados das 15 províncias da ilha e em pouco mais de 600 deputados para o Parlamento.

Os deputados eleitos instalarão a nova Assembleia Nacional, com presidente, vice-presidente e secretário. Além disso, serão eleitos os 31 membros do Conselho de Estado, que apontará o substituto de Raúl –ditador que sucedeu o irmão, Fidel, há dez anos, e já cumpriu dois mandatos de cinco anos no cargo.

As candidaturas para delegados provinciais e deputados serão propostas 50% pelos delegados municipais já eleitos e os outros 50% serão nomeados por seis organizações sindicais, femininas, operárias, camponesas e estudantis.

O Partido Comunista (único) não nomeia candidatos, mas supervisiona o processo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.