A pedido de Trump, EUA estudam desfile militar em Washington

Segundo jornal, presidente se fascinou com parada na França e quer uma maior

O presidente dos EUA, Donald Trump, bate continência a militares de sua escolta ao chegar ao aeroporto de Newark, perto de Nova York, em junho
O presidente dos EUA, Donald Trump, bate continência a militares de sua escolta ao chegar ao aeroporto de Newark, perto de Nova York, em junho - Mandel Ngan - 9.jun.2017/AFP

O secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, disse nesta quarta-feira (7) que a Casa Branca estuda a possibilidade de fazer um desfile militar em Washington, após um pedido do presidente Donald Trump.

Segundo o jornal The Washington Post, a proposta foi feita pelo mandatário durante uma reunião com assessores. A publicação afirma que ele se fascinou com a parada do Dia da Bastilha, que ocorre em 14 de julho na França, ao visitar Paris.

"Estamos avaliando algumas opções. Vamos mandá-las à Casa Branca para uma decisão", disse Mattis. "O respeito e a consideração do presidente pelos militares devem tê-lo levado a pensar nessa possibilidade."

A chance de ocorrer o desfile foi criticada pela oposição democrata e os aliados republicanos. Embora militares participem de feriados nacionais, não é tradição mostrar armas, tanques e outros aparatos das Forças Armadas.

"Um desfile militar paralisaria a capital da nação e seria um desperdício dos dólares dos cidadãos só para afagar o ego de Trump", disse a democrata Eleanor Holmes, delegada do Congresso dos EUA para o Distrito de Colúmbia.

O senador republicano Lindsey Graham considera que um evento de apoio às tropas mostrando seus sacrifícios pelo país poderia ser apropriado, mas sem as armas. "Isso seria brega e mostraria fraqueza", disse.

A proposta também foi motivo de piada. A Câmara de Vereadores de Washington brincou ao dizer que as aulas das escolas seriam mantidas. "Lamentavelmente o Grande Desfile de Tanques foi cancelado. De forma permanente."

Nós evitamos fazer esse tipo de coisa em parte para enfatizar o contraste de sermos as tropas mais poderosas do mundo, porque isso é comum em países autoritários, disse Julian Zelizer, historiador da Universidade Princeton.

A última vez que Washington presenciou um desfile militar similar foi em junho de 1991, depois da vitória na Guerra do Golfo. Cerca de 8.000 soldados marcharam ao lado de tanques na National Mall, sobrevoada por caças.

Ao visitar o presidente francês, Emmanuel  Macron, em julho, Trump disse que achava o desfile em Paris "uma coisa tremenda para a França e o espírito da França" e que gostaria de fazer "uma ainda maior" em Washington.

Associated Press e Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.