Atirador de escola na Flórida comprou fuzil legalmente, diz FBI

Empresa de Coral Springs vende armas longas e pistolas também pela internet

Imagens de câmeras de segurança mostram Nikolas Cruz (de uniforme laranja), ao lado da advogada, no momento em que foi indiciado no tribunal do condado de Broward, na Flórida
Imagens de câmeras de segurança mostram Nikolas Cruz (de uniforme laranja), ao lado da advogada, no momento em que foi indiciado no tribunal do condado de Broward, na Flórida - Susan Stocker - 15.fev.2018/South Florida Sun-Sentinel/Associated Press
Estelita Hass Carazzai
Washington

O fuzil automático AR-15 usado pelo adolescente que matou 17 pessoas numa escola na Flórida, nesta quarta (14), foi comprado legalmente pelo próprio atirador, cerca de um ano atrás, informou o FBI.

A arma foi adquirida numa loja de Coral Springs, cidade vizinha a Parkland, onde ocorreu o massacre numa região no sul da Flórida, com forte presença de imigrantes brasileiros.

Nikolas Cruz, 19, já tinha idade suficiente para comprar a arma. No Estado da Flórida, qualquer pessoa maior de 18 anos pode adquirir um revólver ou um fuzil semiautomático. Para comprar bebidas, a idade limite é 21 em todo o país.

A loja Sunrise  Tactical Supply, onde Cruz fez a compra, vende pistolas e fuzis até pela internet. No site da empresa, que opera legalmente, é possível encontrar ofertas de pistolas e munições a partir de US$ 249 (cerca de R$ 800), incluindo a taxa de entrega.

O slogan do estabelecimento é: "Não deixe o que é importante ficar desprotegido." A Folha não conseguiu contato com os donos da loja nesta quinta (15).

SAÚDE MENTAL VS. CONTROLE DE ARMAS

O presidente Donald  Trump e o governador da Flórida, Rick  Scott, ambos republicanos, afirmaram que pretendem atacar o problema da saúde mental para evitar novos tiroteios em escolas americanas.

Cruz, que apresentava comportamento agressivo e havia sido expulso da escola em que ocorreu o massacre, chegou a receber tratamento psiquiátrico, mas deixara de frequentar a clínica há cerca de um ano. Os motivos do ataque ainda não foram esclarecidos.

Os políticos, porém, não mencionaram o controle de armas. O debate sobre medidas mais restritivas à compra e posse de armamento é retomado em protestos a cada massacre nos EUA.

"Acima de tudo, pessoas que têm problemas mentais jamais deveriam ter acesso a uma arma", afirmou Scott. O governador já foi descrito pela NRA (Associação Nacional do Rifle, na sigla em inglês) como quem "mais assinou leis pró-armas na Flórida". A NRA é o maior lobby  pró-armas nos Estados Unidos, e uma grande doadora de campanha.

Em entrevista à CNN, o governador foi questionado sobre o controle de armas, e se faria algo para alterar as leis locais.

"Eu vou fazer tudo o que for possível para proteger as nossas crianças", afirmou Scott, sem mencionar especificamente as leis.

O político argumentou que o problema dos tiroteios em massa não diz respeito apenas ao controle de armas, mas a várias questões, e que todas precisam ser contempladas pelo governo, como segurança nas escolas e o oferecimento de cuidados de saúde mental aos alunos.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.