Partido exige que Zuma deixe Presidência da África do Sul

No poder desde 2009, presidente está envolvido em escândalos de corrupção

Johanesburgo

O partido governista da África do Sul diz que o presidente Jacob Zuma deve deixar o poder. Ace Magashule, secretário-geral do Congresso Nacional Africano (CNA) afirmou que o comitê nacional do partido decidiu fazer o "recall" (termo usado para a retirada do presidente do poder) de Zuma, por seu envolvimento em escândalos de corrupção. 

O presidente sul-africano Jacob Zuma em imagem de 2010, em Londres - AFP

"Nós não demos a ele nenhuma data limite" para o cumprimento da ordem, que não é vinculativa, disse, em coletiva de imprensa em Joanesburgo.

Magashule diz que Zuma havia concordado em renunciar, mas quis permanecer no cargo por mais alguns meses, uma condição que o comitê do partido rejeitou.

Se Zuma se recusar a seguir as instruções de seu partido, o assunto pode ir ao parlamento para votação.

A imprensa africana e especialistas próximos ao governo dizem que os líderes do partido entregaram um ultimato ao presidente Jacob Zuma, dando-lhe 48 horas para responder à ordem de renunciar.

Se Zuma concordar em desistir,  o vice-presidente Cyril  Ramaphosa deve assumir a presidência. No entanto, se Zuma se recusar a renunciar, enfrentará a votação do Parlamento na próxima semana.

Envolvido em uma série de escândalos de corrupção, embora afirme nada ter feito de errado, Zuma ainda mantém algum apoio dentro do partido.

Associated Press

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.