Em CPI, presidente do Peru admite ter empresa em paraíso fiscal 

Pedro Pablo Kuczynski ainda lidará nesta semana com nova votação de impeachment no Congresso

Lima | AFP e Reuters

O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, disse numa Comissão Parlamentar de Inquérito que usou uma empresa nas Ilhas Virgens Britânicas para evitar legalmente o pagamento de impostos aos EUA.

Kuczynski fez a revelação durante um interrogatório de mais de sete horas na sexta-feira (16).

O presidente Pedro Pablo Kuczynski, em Lima
O presidente Pedro Pablo Kuczynski, em Lima - Mariana Bazo -13.mar.2018/Reuters

A CPI apura crimes de corrupção a poucos dias de o presidente encarar nova votação de impeachment no Congresso —será na quinta-feira (22).

Ex-banqueiro de Wall Street e casado com uma norte-americana, Kuczynski disse que a empresa Dorado Asset Management era controlada no exterior por sua filha para evitar o pagamento de impostos sobre bens. “Por que pagaríamos ao Tio Sam e ao Sr. Trump um monte de dinheiro que está aqui no Peru?”, disse. O interrogatório ocorreu sob sigilo.

Neste domingo (17), a Justiça impediu que os fujimoristas Jaime Yoshiyama e Augusto Bedoya e o empresário Ricardo Briceño deixem o país por 18 meses. Eles são acusados de evasão fiscal. O caso tem relação com as investigações envolvendo a Odebrecht no país.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.