EUA e Coreia do Norte negociam há 25 anos fim de programa atômico; entenda

Se confirmado, encontro de Donald Trump e Kim Jong-un abrirá 3ª tentativa de desnuclearização

Imagens do presidente dos EUA, Donald Trump, e do ditador norte-coreano, Kim Jong-un, aparecem em reportagem da TV sul-coreana em Seul
Imagens do presidente dos EUA, Donald Trump, e do ditador norte-coreano, Kim Jong-un, aparecem em reportagem da TV sul-coreana em Seul - Ahn Young-joon/Associated Press
São Paulo

Se acontecer, a reunião entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e o ditador norte-coreano, Kim Jong-un, abrirá a terceira rodada de negociações entre os dois países para acabar com o programa nuclear de Pyongyang.

A Coreia do Norte começou a enriquecer urânio em 1963, mas foi na década de 1980 que começaram as primeiras atividades para fins militares. Em 1985 o país chegou a aderir ao Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares, do qual sairia oito anos depois.

Leia abaixo os detalhes do programa nuclear norte-coreano.


1993
Coreia do Norte deixa o Tratado de Não Proliferação Nuclear

1994
EUA, governados por Bill Clinton, fecham pacto com Pyongyang para limitar programa atômico militar, em troca de petróleo e apoio para usinas nucleares

2002
Acordo é rompido após sanções americanas devido a mísseis e acusação de George W. Bush de um programa nuclear oculto dos norte-coreanos

2003
Regime de Kim Jong-il afirma em abril ter a bomba atômica; na sequência, retoma negociações com EUA, China, Coreia do Sul, Rússia e Japão, que fracassam anos depois

2006
Coreia do Norte testa 1ª bomba atômica em outubro; três meses antes lança primeiro míssil intercontinental; ONU aplica sanções

2007
Em acordo, Pyongyang promete fechar usina para enriquecer urânio, o que não cumpriu

2009
Norte-coreanos fazem segundo teste nuclear em maio e, um mês antes, lançamento fracassado de foguete

2012
No primeiro ano de Kim Jong-un, país põe satélite em órbita pela primeira vez, usando tecnologia de mísseis; ONU expande sanções

2013
Depois do terceiro teste nuclear, em fevereiro, Coreia do Norte entra em crise de três meses com o Sul

2016
Em janeiro e setembro faz testes atômicos e aperfeiçoa mísseis de longo alcance pelo ano

2017
Lança primeiros mísseis intercontinentais, que afirmam ser capazes de atingir os EUA; Donald Trump reforça retórica contra Kim e pressão por sanções

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.