Com 'Pantera Negra', Arábia Saudita marca data para volta dos cinemas

Primeira sala no país em mais de 35 anos será inaugurada em 18 de abril 

Los Angeles e Riad

O governo da Arábia Saudita anunciou nesta quarta-feira (4) que a abertura do primeiro cinema no país em mais de três décadas acontecerá em 18 de abril na capital, Riad. O filme de estreia deverá ser o blockbuster americano "Pantera Negra", de acordo com a agência Reuters.

A sala não terá divisão por gênero, como é comum em outros espaços públicos no país, mas alguns filmes deverão ser editados e ter partes censuradas, disse a Reuters.

O cinema sala irá ocupar um prédio no distrito financeiro da cidade, que tinha sido planejado para receber concertos de música. Ele será administrado pela AMC, empresa americana com controle chinês, considerada a maior exibidora do planeta.

"Achamos que será o cinema mais bonito do mundo", disse Adam Aron, presidente-executivo da empresa. Segundo ele, a sala contará com 500 lugares com poltronas de couro, espaço para orquestra, camarotes no segundo andar e banheiros de mármore. 

O executivo disse que a maior parte dos filmes feitos nos Estados Unidos poderão ser exibidos na Arábia Saudita, mas alguns deles vão precisar ser editados, como já acontece com as versões usadas em cinemas do Kuwait e de Dubai. "Hollywood já lida com as sensibilidades do Oriente Médio há muito tempo e ajustou seus produtos cinematográficos de acordo", disse ele. 

Não há estimativa do preço do ingresso e a expectativa é que até o meio do ano pelo menos outros três filmes entrem em cartaz no local. 

A AMC assinou um acordo com o governo local e com o fundo soberano do país para inaugurar entre 30 e 40 cinemas em 15 cidades pelos próximos cinco anos. Outras empresas já anunciaram que também pretendem construir salas em território saudita. 

As salas foram permitidas pelo país até os anos 1970, quando começaram a ser fechadas por pressão de clérigos fundamentalistas e foram proibidas de vez no início da década seguinte. 

Em dezembro do ano passado, porém, o governo anunciou que iria autorizar a abertura de novas salas, como parte do projeto de reformas econômicas e sociais promovidas pelo príncipe herdeiro Muhammad bin Salman.

Para servir uma população de mais de 32 milhões de pessoas, a maioria com menos de 30 anos, o plano do governo é ter até 350 complexos, com mais de 2.500 salas de cinema, até 2030 —expectativa é que isso gere até US$ 1 bilhão (R$ 3,3 bilhões) em vendas anuais de ingresso. 

"A reabertura dos cinemas vai ajudar a impulsionar a cultura local ao aumentar o gasto doméstico com entretenimento, ao mesmo tempo que apoiará a criação de empregos no reino [da Arábia Saudita]" disse em nota o ministro da Cultura e Informação do país, Awwad Alawwad.

Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.