Descrição de chapéu Coreia do Norte

Em meio a diálogo com Pyongyang, EUA e Coreia do Sul fazem exercício conjunto

Operação militar ocorre no mesmo dia que Coreia do Norte recebe show de artistas sul-coreanos

Reuters e AFP

 A Coreia do Sul e os Estados Unidos deram início neste domingo (1º) a um exercício militar conjunto que foi adiado por cerca de um mês devido à Olimpíada de Inverno e a retomada do diálogo entre Seul e Pyongyang. 

O início da operação coincide com um show de artistas sul-coreanos na capital da Coreia do Norte. A apresentação contou com a presença do ditador Kim Jong-un, em mais um sinal da reaproximação entre os vizinhos.  

Show de um grupo de K-pop sul-coreano em Pyongyang, capital da Coreia do Norte
Show de um grupo de K-pop sul-coreano em Pyongyang, capital da Coreia do Norte - Korea Pool/Associated Press

O exercício militar, chamado de 'Foal Eagle', costuma envolver tropas terrestres, aéreas, navais e de operações especiais, e deve seguir por cerca de um mês.

Um porta-voz do Pentágono disse em março que os dois exercícios conjuntos envolveriam cerca de 23.700 soldados dos EUA e 300 mil militares sul-coreanos.

Seul afirmou que o número de envolvidos e a escala do treinamento devem ser semelhantes aos dos exercícios realizados em anos anteriores.

Tradicionalmente a operação militar conjunta entre Seul e Washington é feita em março, mas ela foi adiada este ano para começar apenas após o fim dos Jogos Paraolímpicos de Inverno, que terminaram em 18 de março —a Olimpíada acabou em 25 de fevereiro. 

Os dois eventos aconteceram na cidade sul-coreana de PyeongChang e contaram com a presença de uma delegação da Coreia do Norte.  

Em anos anteriores, Pyongyang acusou Seul e Washington de usarem o exercício militar conjunto para treinarem uma invasão da Coreia do Norte,  mas desta vez o regime dos Kim não se manifestou sobre o assunto.

O início do exercício conjunto acontece cerca de um mês antes de uma cúpula entre as duas Coreias prevista para 27 de abril, a primeira em mais de um década. Na reunião, Kim Jong-un e o presidente sul-coreano Moon Jae-in devem discutir a desnuclearização da península e a melhoria das relações entre os países. 

Kim também deve ter ainda um encontro com o presidente americano Donald Trump em maio, mas este ainda não foi confirmado oficialmente. 

Show

Também neste domingo (1º), Kim Jong-un e sua esposa compareceram a um show de cantores sul-coreanos de K-pop em Pyongyang, a primeira apresentação do tipo em território norte-coreano em mais de dez anos. 

Foi também a primeira vez que um líder da Coreia do Norte compareceu a um show de um grupo sul-coreano na cidade. Kim foi visto batendo palmas durante algumas das músicas e tirou fotos com os artistas ao fim da apresentação. 

A visita dos artistas da Coreia do Sul —assim como uma apresentação de taekwondo também realizada neste domingo— é o episódio mais recente de uma série de iniciativas de reconciliação entre as duas Coreias.

O processo de distensão acontece depois de vários anos de tensão, provocada pelos programas de testes nucleares e de desenvolvimento de mísseis da Coreia do Norte, que resultaram em várias sanções contra o país feitas por Washington e pelo Conselho de Segurança da ONU.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.