Descrição de chapéu Minha História

'Toronto é um farol de aceitação e seguiremos em frente após ataque'

Responsável por atropelamento nos tirou liberdade de caminhar ao sol, diz jornalista da cidade

Homenagem aos dez mortos após ataque com van em Toronto, no Canadá
Homenagem aos dez mortos após ataque com van em Toronto, no Canadá - Zou Zheng/Xinhua
Vivian Vassos
Toronto

Uma van avançou sobre a calçada em um cruzamento movimentado em Toronto nesta terça-feira (24), matando 10 pessoas e ferindo 15.

Leia o depoimento à Folha da jornalista Vivian Vassos, que cresceu e mora na cidade, sobre o dia seguinte ao ataque.

 

Quando você vive na cidade mais pacífica, diversificada e inclusiva do mundo (ou pensa ser isso), você fica chocada, indignada, triste e confusa.

Sempre acreditamos que fôssemos uma cidade do mundo. Isto prova que não somos imunes às forças deste mundo, positivas ou negativas.

Esse rapaz, que tinha a vida inteira pela frente, mas estava irritado o suficiente para modificar a própria vida de maneira tão catastrófica e apagar permanentemente as vidas de pessoas inocentes em seu rastro.

Eu nasci aqui em Toronto. Cresci a cerca de 15 minutos de carro do local do crime. A primavera finalmente chegou à cidade, e fazia um dia glorioso de céu azul, o que levou muitas pessoas a sair para tomar o sol da mãe natureza.

Funcionários de escritórios, mães passeando com bebês, estudantes e idosos desfrutando sua caminhada diária, coisa que o longo inverno deste ano nos impediu. A liberdade de caminhar ao sol, pacificamente. E então acontece isto. Em uma fração de segundo esse homem irado e confuso também nos privou disso.

Tudo mudou. Mas nada mudou. Como cidade, como país e como comunidade global que acredita na paz, estamos unidos. No jogo de hóquei da Liga Nacional ontem à noite, os torcedores fizeram um momento de silêncio em pé em respeito pelos irmãos e irmãs que perdemos durante o dia, depois de chegarem ao estádio passando por segurança reforçada. O clima era solene, mas animado.

Nesta manhã, uma enxurrada de simpatia e força, um memorial improvisado já repleto de flores e mensagens aos que sofreram. E conforme os nomes das vítimas forem revelados haverá um novo suspiro coletivo, um momento de oração pelos que perdemos --os que nós e o mundo como um todo perdemos.

Nós nos reergueremos, afastaremos o medo, nos uniremos, lamentaremos como comunidade e seguiremos em frente, cuidando de nossas irmãs e irmãos nesta grande cidade, um verdadeiro farol de aceitação, inclusão e diversidade para o mundo. Nós seguiremos em frente juntos.

Vivian Vassos, jornalista e natural de Toronto, é editora executiva da revista Zoomer

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.