Descrição de chapéu estado islâmico terrorismo

Estado Islâmico assume ataque que matou 15 no Afeganistão

Ação ocorreu em Jalalabad e, se confirmada a autoria, é a terceira do grupo no fim de semana

Jalalabad | Reuters

Um ataque com carro-bomba e atiradores na cidade de Jalalabad, no Afeganistão, terminou com pelo menos 15 mortos e 42 feridos neste domingo (13).

Forças de segurança afegãs durante combate com terroristas em Jalalabad
Forças de segurança afegãs durante combate com terroristas em Jalalabad - Reuters

O grupo terrorista EI (Estado Islâmico) assumiu a autoria da ação, sem apresentar evidências, no que seria seu terceiro atentado no fim de semana em três países diferentes —o grupo reivindicou um esfaqueamento em Paris e explosões na Indonésia.

O ataque afegão começou com a explosão de um carro-bomba perto de um edifício do governo em Jalalabad, maior cidade do leste afegão. Na sequência, um grupo de seis terroristas com metralhadoras e lançadores de granadas propelidas por foguete entraram no prédio, iniciando uma batalha com forças de segurança.

Os atacantes morreram durante o cerco, segundo a polícia. O incidente foi o mais recente em um ressurgimento da violência no país, que virou uma espécie de símbolo do embate entre o terror islâmico e governos pró-ocidentais como o atual nos últimos anos.

Desde o começo do ano, o grupo fundamentalista Taleban reforça suas posições no Afeganistão, país que governou de 1996 a 2001 —quando o abrigo que deu à rede Al Qaeda de Osama bin Laden foi punido com uma invasão americana, buscando vingança após os atentados que promoveu no 11 de setembro daquele ano e que derrubou o regime.

A diferença do Taleban para o EI é que o primeiro grupo tem uma base social forte, baseada na maioria pashtun da região, e pretensões de controle territorial. Já o EI local age mais como um grupo terrorista buscando estabelecer bases para apoiar outras ações.

Os EUA se engajaram na mais longa guerra de sua história na região, mas praticamente retiraram suas forças de combate do país. O governo de Donald Trump prometeu um retorno à região e enviou alguns soldados, estimulando uma maior reação tanto do Taleban quanto do EI, que foi alvo de um bombardeamento duro no ano passado.

Já o presidente Ghani buscou ofertar um lugar na mesa para o Taleban negociar a paz como um ator político legítimo, sem sucesso até aqui. As preparações para as eleições parlamentares de outubro, as primeiras desde 2010, têm sido constantemente atingidas por atos terroristas.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.