Descrição de chapéu Venezuela

Rebelião em presídio venezuelano deixa ao menos 11 mortos

Outras 28 pessoas ficaram feridas; cadeia abriga preso político, que não se feriu

Quatro mulheres aparecem agarradas a grades em forma de pequenos losangos; a primeira à esquerda enxuga lágrimas
Familiares de presos esperam por notícias do lado de fora do Centro Penitenciário Fénix, em Barquisimeto, onde 11 detentos morreram - Luis Robayo/AFP
Fabiano Maisonnave
Caracas

Ao menos 11 pessoas morreram nesta sexta-feira (18) durante uma rebelião em presídio localizado em Barquisimeto (370 km a oeste de Caracas), informou a imprensa venezuelana.

A tragédia ocorreu na Comunidade Penitenciária Fénix. Nove mortos eram detentos e dois, carcereiros. Outras 28 pessoas ficaram feridas, segundo a ONG Una Ventana a la Libertad (Uma Janela para a Liberdade), que monitora os presídios venezuelanos.

O local abriga o preso político Gilber Caro, deputado federal pelo partido Vontade Popular, que não está entre os mortos. Ele foi preso pelo Sebin (serviço secreto venezuelano) em janeiro do ano passado, acusado de esconder armas que seriam usadas para “atos terroristas". 

Na quarta-feira (16), presos políticos se amotinaram no presídio El Helicoide, em Caracas, em protesto contra as condições do presídio a a falta de devido processo legal. O protesto terminou no dia seguinte, com a entrada de policiais na ala masculina. 

É a segunda maior matança em presídios venezuelanos neste ano. Em 28 de março, 68 pessoas morreram em uma casa de custódia na cidade de Valencia, a terceira maior do país.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.