Afeganistão anuncia cessar-fogo com o Taleban por duas semanas

Medida foi tomada após recomendação de um grupo de religiosos e vale até o fim do Ramadã

Cabul

O presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, anunciou pela primeira vez um cessar-fogo sem precondições com o Taleban nesta quinta-feira (7), coincidindo com o fim do mês de jejum da religião muçulmana, o Ramadã, mas excluiu outros grupos militantes como o Estado Islâmico.

A trégua deve seguir as festividades do Eid al-Fitr, que marcam o fim do Ramadã, que acontecerá por volta do próximo dia 20. 

Muçulmanos aguardam em Mazar-i-Sharif, no Afeganistão, o pôr do sol para por fim ao jejum diário do Ramadã
Muçulmanos aguardam em Mazar-i-Sharif, no Afeganistão, o pôr do sol para por fim ao jejum diário do Ramadã - Farshad Usyan - 31.mai.2018/AFP

A decisão foi tomada após reunião de clérigos islâmicos de todo o país na semana passada, quando foi declarada uma fátua, ou uma ordem religiosa, contra atentados suicidas.

"As guerras em curso no Afeganistão não têm qualquer fundamento. As únicas vítimas são os afegãos. Não têm qualquer valor religioso, ou humano", afirmaram os religiosos, acrescentando que "apoiá-las, ou financiá-las, é contrário à sharia", a lei islâmica.

Os clérigos também recomendaram um cessar-fogo com o Taleban, que está tentando restaurar a rígida lei islâmica após sua derrubada do poder em 2001, e Ghani apoiou a recomendação, anunciando que irá abaixar as armas.

Desde que foi eleito, em 2014, o presidente já tinha proposto em outras ocasiões um cessar-fogo ao grupo, mas é a primeira vez que ele não faz precondições para iniciar a trégua. 

Ghani propôs o início de uma negociação de paz ao Taleban no final de fevereiro, mas os insurgentes não responderam.

 
Reuters e AFP
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.