Ativista de esquerda surpreende e derrota líder democrata em primárias de NY

Ligada a Sanders, Alexandria Ocasio-Cortez será a candidata da sigla por uma vaga na Câmara

Alexandria Ocasio-Cortez, 28, após a vitória na primária democrata
Alexandria Ocasio-Cortez, 28, após a vitória na primária democrata - Mary Altaffer/Associated Press
Nova York | Associated Press e Reuters

A vitória de uma ativista de esquerda sobre um veterano político democrata em Nova York marcou as primárias partidárias disputadas em sete estados americanos nesta terça-feira (26), que ajudaram a definir os candidatos para a eleição legislativa de novembro.  

Alexandria Ocasio-Cortez, 28, que ajudou na campanha do senador Bernie Sanders em 2016, venceu com mais de 57% dos votos o atual deputado Joe Crowley, 56, e será a candidata democrata por uma vaga na Câmara em novembro pelo 14º distrito do estado —que inclui os bairros do Queens e do Bronx, na cidade de Nova York. No sistema político americano, cada distrito elege um deputado para a Câmara.  

Crowley cumpre atualmente seu décimo mandato na casa e faz parte da cúpula do partido no Congresso. Seu nome era cotado, inclusive, para a Presidência da Câmara caso os democratas conquistem a maioria na eleição de novembro.

O resultado foi considerado simbólico por representar a atual disputa interna dentro do partido democrata entre a ala centrista, de Crowley, o grupo mais a esquerda, ligado a Sanders, que apoiou Ocasio-Cortez. 

A novata, que há um ano atrás trabalhava como garçonete em um bar de Nova York, nasceu no Queens e é filha de uma porto-riquenha. Sua campanha, considerada inicialmente pouco viável, ganhou força nas últimas semanas tendo como foco as minorias negras e latinas que vivem no Bronx e no Queens.  

Em diversos outros distritos, disputas semelhantes devem se repetir, mas até terça nenhum deputado democrata tinha sido derrotado na atual temporada de primárias. Foi o caso no 9º distrito de Nova York, onde o novato Adem Bunkeddeko perdeu por apenas mil votos da atual deputada Yvette Clarke. 

"A comunidade está pronta para um movimento econômico e de justiça social. É isso que tentamos mostrar" disse  Ocasio-Cortez à agência de notícias Associated Press. 

A disputa interna entre os democratas, que tentam retomar o controle do Congresso em novembro, contrastou com o resultado das prévias republicanas, na qual candidatos apoiados pelo presidente Donald Trump conseguiram vencer sem sustos. 

É o caso do atual deputado Dan Donovan, também de Nova York, que venceu a disputa interna contra Michael Grimm, um ex-congressista condenado por fraude.

As lideranças republicanas temiam que uma vitória de Grimm abrisse espaço para que os democratas vencessem a eleição pela vaga na região.

Outro nome apoiado pro Trump a vencer a disputa foi o ex-candidato a presidente Mitt Romney, que será candidato ao Senado por Utah. Como o estado tem ampla maioria republicana, ele é o favorito para conquistar a vaga em novembro.

Ex-governador de Massachusetts e derrotado por Barack Obama na eleição presidencial de 2012,  Romney, foi um dos principais críticos de Trump dentro do partido durante a campanha de 2016, mas mudou de tom nos últimos meses e recebeu o apoio do presidente.  

Além de Utah e Nova York, também realizaram prévias nesta terça os estados de Oklahoma, Carolina do Sul, Mississipi, Maryland e Colorado. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.