Em uma semana, novo governo espanhol tem primeira baixa

Ministro da Cultura, Maxim Huerta renuncia em meio a relatos de sonegação fiscal

Madri

Apenas uma semana após assumir, o ministro espanhol da Cultura renunciou nesta quarta-feira (13) em meio a relatos de sonegação fiscal.

Maxim Huerta, em entrevista coletiva, informa sua renúncia do Ministério de Cultura espanhol
Maxim Huerta, em entrevista coletiva, informa sua renúncia do Ministério de Cultura espanhol - Javier Soriano/AFP

Maxim  Huerta fazia parte do novo governo espanhol, chefiado pelo premiê socialista Pedro Sánchez, que assumiu após o Parlamento aprovar uma moção de censura contra o conservador Mariano Rajoy, cujo partido se envolveu em sucessivos escândalos de corrupção.

Segundo o jornal El Confidencial, Huerta teria deixado de pagar mais de 200 mil euros (R$ 873 mil) em impostos quando trabalhou como um jornalista de TV há dez anos.

Huerta, que anunciou sua renúncia em uma entrevista coletiva, disse que pagou uma multa relacionada à sua renda declarada em 2006 e em 2008 e que é "absolutamente inocente".

"Eu paguei duas vezes a multa, na época e agora, aqui", afirmou Huerta, que disse ainda que o motivo da penalidade foi uma mudança nos critérios da Receita espanhola.

É o primeiro teste para o novo governo, que pela primeira vez na história espanhola tem mais mulheres do que homens em cargos de ministério. O entusiasmo com Sánchez também elevou os índices do PSOE (Partido Socialista Operário Espanhol) nas pesquisas.

Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.