Epidemia de Ebola na África está 'amplamente contida', diz OMS

Último caso registrado na República Democrática do Congo foi em 9 de junho

Genebra | Reuters

A epidemia de ebola que atingiu a República Democrática do Congo está "amplamente contida" e nenhum novo caso da doença foi confirmado desde 9 de junho, quando ocorreu a última morte, disse nesta quarta (20) a OMS (Organização Mundial da Saúde). 

O órgão da ONU disse que vê a situação atual com um "otimismo cauteloso", apesar das dificuldades de localizar as pessoas que possam ter sido expostas, em especial nas áreas mais remotas do país. A epidemia, que começou no início de abril, matou 28 pessoas. 

"Em um pouco mais de um mês de resposta, a propagação do EVD [sigla em inglês para doença do vírus ebola] foi amplamente contida", disse a OMS em nota. 

Funcionário da Organização Mundial da Saúde vacina morador da República Democrática do Congo na cidade de Mbandaka
Funcionário da Organização Mundial da Saúde vacina morador da República Democrática do Congo na cidade de Mbandaka - Kenny Katombe - 21.mai.2018/Reuters

A epidemia causou preocupação porque ocorreu em uma área remota de difícil acesso no noroeste do país que fica próxima ao rio Congo, o que poderia facilitar a propagação em direção a cidades vizinhas e a capital Kinshasa, onde vivem 10 milhões de pessoas.  

Havia ainda o temor que, devido ao rio, a doença atingisse os países vizinhos da República Centro-Africana e do Congo —que, apesar da semelhança de nome, é independente da República Democrática do Congo. 

Esta foi a nona epidemia de ebola a atingir o país e a primeira a utilizar uma estratégia na qual pessoas que tiveram contanto com pacientes infectados foram vacinadas, em uma tentativa de de impedir a propagação.  

Segundo a OMS, o número de moradores sob observação vem caindo ao longo do tempo. Quando há a suspeita de comunicação, a pessoa é observada por 21 dias, o tempo de incubação da doença —a vacina demora dez dias para fazer efeito. 

Ao todo, 1.417 pessoas já foram observadas e na última atualização, em 17 de junho, 289 ainda estavam sendo analisados. A previsão da OMS é que os últimos pacientes sejam liberados na próxima quarta (27). 

Para declarar oficialmente a questão como resolvida, porém, a OMS deve esperar 42 dias a partir do último caso confirmado, que ocorreu no dia 9. Assim, se nada mudar, o fim da epidemia deve ser anunciado por volta do dia 21 de julho.   

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.