Descrição de chapéu Governo Trump

Governo do Brasil orientará pais em ações para resgatar filhos separados nos EUA

Itamaraty chamou de prática cruel divisão de famílias e espera que Trump revogue medida

Crianças estão sentadas e deitadas em seis colchonetes verdes, algumas delas cobertas com uma manta prateada.
Crianças separadas dos pais presos ao tentar entrar nos EUA descansam em colchonetes em um abrigo do governo americano em McAllen, no Texas - Proteção de Fronteiras e Alfândega dos EUA - 17.jun.18/Associated Press
Estelita Hass Carazzai
Washington

O Itamaraty afirmou nesta quarta-feira (20) que a separação de crianças imigrantes de seus pais na fronteira dos Estados Unidos, que já levou pelo menos 49 menores brasileiros a abrigos no país, é “uma prática cruel” e que espera que o presidente Donald Trump a revogue.

“[É] uma prática cruel e em clara dissonância com instrumentos internacionais de proteção aos direitos da criança”, informou o órgão, em nota.

O governo brasileiro informou que tem acompanhado o caso com preocupação e que tem orientado os consulados nos EUA a reforçarem as medidas de proteção a menores.

 

Entre as medidas em andamento, está o mapeamento de todos os abrigos dos EUA para identificação de novos casos de crianças brasileiras separadas dos pais, a realização de visitas regulares a essas instituições e a orientação dos pais quanto à possibilidade de ações judiciais para a retomada da guarda e reunificação das famílias.

O Ministério das Relações Exteriores disse esperar que a ordem emitida pelo presidente Donald Trump nesta quarta, que determinou que as famílias fiquem unidas enquanto transcorre o processo pela entrada ilegal, acabe com a prática.

A nota ainda informou que governo brasileiro tem feito consultar regulares sobre o tema com o governo norte-americano. 

 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.